CRONOLOGIA MAÇÔNICA

A despeito da dificuldade de datação de alguns episódios, dada a controvérsia acadêmica envolvida na questão das datações, a presente cronologia foi organizada com base em diversos volumes listados na bibliografia e tem a finalidade de resumir os principais acontecimentos maçônicos e aqueles fatos que, direta ou indiretamente, contribuíram na formação das lendas, costumes, filosofia e práticas maçônicas, o que não significa que o Rito Moderno esteja de alguma forma associado aos conceitos que tais fatos possam eventualmente representar. Não pretendemos, com essa cronologia, sugerir que a Maçonaria moderna tenha origem direta em organizações pré-cristãs, apenas constatamos que fatos e lendas daquele período são substanciais em sua liturgia, filosofia, práticas e costumes, assim como fazem parte de suas lendas, ainda que adotados nos últimos três ou quatro séculos, sendo base do conjunto filosófico lendário da Arte Real.
A finalidade do presente trabalho nada mais é que subsidiar elementos de pesquisa e servir de roteiro para futuros trabalhos.
PERÍODO PRÉ-CRISTÃO
28000 a.C. – Primeiras evidências de um culto ou práticas religiosas.
12000 a.C. – Primeiros utensílios em pedra.
4600 a.C. – Provável surgimento dos mitos astronômicos.
4500 a.C. – Vestígios de um sacerdócio com características “profissionais” na Bretanha (em
pleno neolítico). Primeiro aglomerado urbano em Biblos.
4000 a.C. – Primeiras construções em pedra talhada em Bryn Celli Ddu.
3300 a.C. – Surgimento de um aglomerado urbano que dará origem a Uruk, a primeira cidade Suméria.
3150 a.C. – Surgimento no Egito de hábeis construtores em pedra. Unificação do Alto e Baixo Egito num único reino.
3000 a.C. – A mais antiga referência à cidade de Salém, depois Jerusalém.
2900 a.C. – Biblos torna-se uma poderosa cidade.
2750 a.C. – Primeiras versões do mito de Gilgamesh.
2700 a.C. – Construção dos primeiros Zigurati na Suméria.
2650 a.C. – Provável construção das primeiras pirâmides verdadeiras no Egito, em Sakara.
2600 a.C. – Construção no Peru do primeiro templo em degraus.
2530 a.C. – Construção da Pirâmide de Queóps. Em seu interior foram depositados barcos fenícios.
2407 a.C. – Data tradicional no judaísmo em que teria ocorrido o dilúvio bíblico.
2000 a.C. – Primeiros artefatos de bronze na Escócia.
1900 a.C. – Ano provável em que Abraão se encontra com Melkisedek em Salém.
1800 a.C. – Domínio egípcio sobre a Fenícia.
1573 a.C. – O Faraó Seqenere é assassinado num templo egípcio de forma semelhante àquela narrada na lenda maçônica do assassinato de Hiram.
1374 a.C. – Nascimento de Amenófis IV, Faraó da XVIII dinastia egípcia, que adotou o nome Aknaton (A Imagem Viva de Aton) após viver uma experiência mística pessoal. Foi o primeiro homem a afirmar a existência de um único Deus.
1360 – Erupção do vulcão Thera, ilha grega, que coincide com as tais pragas no Egito que antecedem a saída dos israelitas para o Êxodo.
1360 a.C. – Inicio do Êxodo; os israelitas saem do Egito e vagam quarenta anos no deserto em conformidade com a mensagem recebida por Moisés no Monte Sinai. A verdadeira identificação do Monte Sinai perdeu-se, mas, Graham Phillips1 o identificou na montanha em que foi construída a famosa cidade Petra, em Jabel Madhbah, onde fenômenos naturais semelhantes aos descritos no
Velho Testamento são registrados.
1030 a.C. – Saul, da tribo de Benjamin, é ungido o primeiro Rei de Israel; reside em Gaba.
1007 a.C. – David, da tribo de Judá, é ungido Rei na tribo de Judá que, a exemplo de outras tribos não reconhecia mais Saul como rei.
1000 – a.C. – Ao derrotar Saul, David unifica as tribos e é ungido o segundo Rei de toda Israel, inaugurando a segunda dinastia israelita; no mesmo ano conquista Jerusalém dos Jebuseus e a transforma em capital do seu reino.
970 a.C. – Salomão é ungido Rei de Israel e faz construir o Templo de Yahweh em sete anos, iniciando a obra provavelmente em 967 a.C.; a construção do Templo tornou-se a base das lendas maçônicas.
960 a.C. – Sete anos após o início dos trabalhos o Templo é consagrado. A estimativa atual é que teria custado cerca de 4.900 milhões de dólares.
931 a.C. – Salomão morre e a luta dinástica amplia o caos financeiro e religioso que tivera início em seu reinado; o reino acaba dividido em dois sob Jeroboão I (931 a.C. – 910 a.C.) e Roboão (931 a.C. – 913 a.C.).
740 a.C. – Isaías profetiza a vinda de um novo Messias (ou Rei Ungido do Senhor).
722 a.C. – Após a divisão em dois reinos (931 a.C.), ao Norte, Israel (1ª capital em Tersa, um século e meio depois, Samaria), e ao Sul, Judá (capital: Jerusalém), o reino do norte sucumbe com a invasão de Senaquerib em 701 a.C. Dez das doze tribos foram deportadas, forçadas à apostasia e acabaram desaparecendo. Os remanescentes foram unificados por Josias (640 a.C. – 609 a.C.) e sua pregação da importância do Templo de Iahweh.
714/5 a.C. – Numa Pompilo cria ou regulariza (discute-se) em Roma o Collegia Artificum (Colégio de Artesãos). Gozavam de privilégios incomuns como ser regido por seus próprios estatutos, não pagar impostos, reuniões privativas; seus presidentes eram denominados Magistri. Entre os Collegia destaca-se o dos Construtores, integrado por Obreiros fenícios que professavam a fé dionisíaca e que atuava na retaguarda das legiões invasoras romanas, construindo caminhos, pontes, fortalezas e edifícios ou simplesmente reconstruído obras úteis arruinadas na guerra. Sua atuação se desenvolveu por séculos e, quando por razões políticas, foi dissolvido, muitos de seus obreiros refugiaram-se nos montes do lago Como, na Ilha fortificada de Comancino, reaparecendo
sob a denominação de Magistri Comacini, atuando na arte arquitetônica na Itália, França, Alemanha e Inglaterra.
622 a.C. – Suposta descoberta do Livro da Lei pelo Sumo Sacerdote Helcias no subterrâneo do Templo de Salomão. Helcias teria afirmado “Achei o Livro da Lei no Templo de Iahweh”; faz-se 1 Os Templários e a Arca da Aliança – Graham Phillips – Masdras – 2005.
a reforma religiosa e elaboração dos documentos históricos de conformidade com o espírito do Deuteronômio, primeira redação dos livros de Josué, Juízes, Samuel e Reis; Naum em 612 a.C.
597 a.C. – Em 16 de março queda da Judéia; o rei Joachin é levado cativo com mais 10.000 judeus, entre eles o futuro profeta Ezequiel, dando início ao Cativeiro da Babilônia sob Nabucodonosor (o cativeiro durou cerca de 70 anos) e é sucedido por seu filho Jaconias; antes da invasão Jeremias esconde a Arca da Aliança e outros objetos do Templo. Não havendo a fidelidade esperada na figura de Matatias (tio de Jaconias) que assumiu como rei Zedequias e preposto dos babilônios, o Templo é saqueado e destruído em 586 a.C., Jerusalém é incendiada e grande parte da nobreza e do alto sacerdócio é eliminada pelas armas ou deportada, inclusive o Rei Zedequias que é cegado e seus filhos assassinados em sua presença (a filha do rei, Tamar – ou Tea – foi levada por Jeremias para a Irlanda juntamente com a pedra usada para sagração dos reis de Israel, a mesma que Jacó repousara a cabeça quando teve o sonho em que viu a escada, conhecida no meio maçônico como “a Escada de Jacó”); as Colunas Jakim e Booz foram levadas para a Babilônia juntamente com 50.000 prisioneiros e a forma correta de pronunciar o Nome Inefável é perdida (vem daí a tradição da “Palavra Perdida”). Durante o cativeiro surge uma figura nova, a Sinagoga, um local de oração e culto da religião judaica, tolerada pelos babilônios.
582 a.C. – Nascimento de Pitágoras, um dos maiores iniciados de todos os tempos, cujos princípios gerais foram utilizados pela Maçonaria Operativa e mantidos pela Maçonaria Especulativa moderna.
573 a.C. – Ainda no cativeiro, o profeta Ezequiel tem visões e descreve uma Jerusalém Celestial ou Nova Jerusalém, que serviu
de motivação aos exilados.
539 a.C. – Quando os Persas invadem a Babilônia, sob comando de Ciro II, libertam os judeus (538 a.C.) e tem início à construção do segundo Templo (520 a.C. – 515 a.C.) dedicado a Iahweh sob a liderança de Zorobabel; o segundo Templo é construído sobre as ruínas do primeiro (de Salomão) e ficou conhecido como “Templo de Zorobabel”. Segundo uma lenda os operários usavam a trolha numa mão e a espada na outra, em virtude da hostilidade das tribos vizinhas.
469 a.C. – Nascimento de Sócrates.
427 a.C. – Nascimento de Platão.
384 a.C. – Nascimento de Aristóteles.
187 a.C. – Data mais provável da fundação de Qumran, a comunidade mística e política dos Essênios. Os documentos do mar morto estabelecem uma relação importante entre essa comunidade e o cristianismo original (autêntico).
168 a.C. – Antioco Epifanes IV, rei da Síria (174-164 a.C.) saqueia e profana o Templo de Jerusalém, manda suspender os sacrifícios quotidianos e oferece carne de porco sobre o Altar e proíbe o culto a Iahweh.
167 a.C. – Judas Macabeu, judeu ortodoxo, restaura e purifica o Templo de Jerusalém, em defesa do nacionalismo judaico, frente aos costumes helênicos trazidos da Grécia.
64 a.C. – Os Collegia são dissolvidos por força da Lei Julia, instituída no ano 90 a.C.; a dissolução se deu por medo do império de que os Collegia pudessem se transformar em órgãos políticos, sendo manipulados para votar em bloco em determinados candidatos.
63 a.C. – Conflitos internos permitem a invasão romana, sob o comando de Pompeu, que toma Jerusalém, nomeia Hircano para a função de Sumo Sacerdote e transforma Judá numa província romana, onde permaneceram por aproximadamente 400 anos.
37 a.C. – Herodes, de origem edomita (convertidos pelos invasores israelitas), após eliminar o último descendente da Casa de Hasmon e todo o Sinédrio a fim de consolidar o seu poder, manda reconstruir o Templo a Iahweh (20 ou 19 a.C.), que se torna conhecido como o terceiro Templo, ou Templo de Herodes. Constrói, ainda, Masada (que veio a ser o último bastião de resistência judaica contra o império romano); Herodium, Cesaréia (23 a.C.); fortificou e embelezou Jerusalém; criou aquedutos; nivelou o Monte Moriá e fez muros de sustentação do retângulo daí resultante.
07 a.C. – Ano provável de nascimento de Jesus, a data é desconhecida. 25 de dezembro foi adotado posteriormente quando o cristianismo já mutilado caminhava de mãos dadas com o império romano.
PERÍODO CRISTÃO
29 – João Batista é preso em Maqueronte e finalmente, decapitado. O crânio vem a ser um importante símbolo entre os Templários e na Maçonaria.
46 – Ormus, sábio místico alexandrino, funda a Ordem dos Iniciados, cujo símbolo é uma cruz vermelha.
66 – Revolta judaica contra o invasor romano sob liderança dos Zelotes ou sicários (assim denominados pelos romanos), seita extremista farisaica, sob o grito de “Nenhum deus além de Iahweh; nenhum imposto exceto o do Templo”, numa tentativa de expulsar o invasor romano. Florus saqueia o Templo e a Cidade Alta de Jerusalém enquanto os Zelotes tomam a cidade baixa e Masada; Florus foge para Cesaréia e massacra os judeus, ultrage vingado com a destruição da guarnição da Fortaleza Antônia.
70 – Sob o comando de Tito foi destruído o terceiro Templo a Yahweh e da comunidade de Qumran pelos romanos em 29 de agosto. Queda de Massada (páscoa de 73). Cerca de mil (1.000) patriotas Zelotes, defensores da fortaleza, se matam para não morrer como escravos ao cair nas mãos dos infiéis romanos. Tito leva para Roma o Candelabro, a Mesa dos Pães da Proposição e o Livro da Lei (Torá ou Pentateuco), que podem ser vistos no Arco do Triunfo de Tito, em Roma. O sábio rabino Yochanan Bem Zacai, antevendo a destruição da nação, obteve autorização para estabelecer uma Academia Talmúdica em Yabne (torna-se herdeira do Sinédrio), nas proximidades de Jafa. Sua iniciativa e inovações auxiliaram na preservação da cultura judaica.
131 – Última revolta judaica, liderada por Simeão Ben Koseba que almejava a libertação judaica e a construção de um quarto Templo a Iahweh. Apoiado pelo rabino Akiva, sábio e patriota que o reconhece como Messias, eles resistiram por mais de três anos as imposições do imperador Adriano no sentido de extirpar as práticas judaicas. Finalmente Ben Koseba invadiu Jerusalém e destruiu a 10ª Legião. O próprio Adriano acompanhado de um grande exército dá fim à rebelião
(134); Ben Koseba e Akiva são torturados até a morte. Jerusalém é arrasada, restando em pé apenas o muro oeste. Sobre as ruínas é erguida uma nova cidade romana, Aelia Capitolina (novo nome romano de Jerusalém), proibida aos judeus, sob pena de morte; tem início a diáspora e a Judéia passa a ser chamada de Palestina. Os judeus cristãos dispersos na Transjordânia e na Síria formam a
seita dos Ebionitas (Cristãos que não aceitam a divindade de Jesus nem os escritos de Paulo), fundamentados no Evangelho dos Hebreus.
180 – Irineu, líder da Igreja em Lyon, expoente do grupo que se transformou na Igreja Católica e Apostólica Romana no II século a.D., publica Adversus Haeresis (Contra as Heresias) condenando as correntes cristãs não alinhadas a corrente católica que já se considerava a única seita cristã legítima entre as dezenas então existentes, especialmente depois da dispersão da sede original
de Jerusalém no ano 130. Irineu baseou sua condenação especialmente em dois textos: O Evangelho da Verdade e Apocryphon de João, depois destruídos quando a Igreja Católica se tornou religião oficial do Império Romano. Os referidos textos foram redescobertos e Nag Hammadi em 1945, como parte do conjunto geralmente denominado “Evangelhos Gnósticos”.
200 – A principal seita gnóstica, o maniqueísmo, floresce na Pérsia. O sistema maniqueísta estava dividido em três etapas: 1) Auditor; 2) Eleito; e 3) Perfeito. Santo Agostinho, teólogo considerado como um dos “pais da igreja” foi maniqueísta entre os anos 374 e 383, mas não conseguindo ser mais que Auditor desistiu e tornou-se católico. Em 657, o principal ramo gnóstico foi conhecido sob o nome de Paulicianos e, mais tarde, Cátaros, Euchites, Bogomilos e Lollards. Estudiosos modernos asseguram que o mais poderoso ramo gnóstico foi a Ordem dos Cavaleiros Templários.
302 – Os Santos Quatro Coroados (Quator Coronati) eram os Santos Patronos dos arquitetos lombardos e toscanos, depois dos maçons construtores da Idade Média e mais tarde da Maçonaria Operativa de Alemanha, França e Inglaterra. Constam duas situações: 1º – a primeira versão fala de um grupo composto de 4 pedreiros de nomes Claudius, Castorius, Simphoranius e Nicostratus, que eram secretamente cristãos. O Imperador Diocleciano solicitou para eles uma estatua do Deus pagão da saúde, Escolapius, ao que eles se negaram pela sua condição de cristãos, solidarizando com eles um outro pedreiro, que não seria cristão, mas, uma outra versão indica que este 5º seria um soldado romano de nome Simplicius. O Imperador condenou aos 5 a morte dentro de esquifes de chumbo que foram jogados no rio. 2ª – Onze meses depois, Diocleciano ordenou incenso e sacrifícios a imagem de Esculapio, mas 4 suboficiais eram cristãos e resistiram a ordem sendo mortos a chicotadas; seus nomes eram Severus, Severinus, Carpophorus e Victorinus. Os 4 foram sepultados pelos cristãos junto aos primeiros 5 mártires em novembro de 303. Se lhes consagra o dia 8 de novembro e não está clara a razão de serem considerados “coroados”.
325 – Concílio de Nicéia (hoje Isnik), na Turquia, convocado pelo imperador romano Constantino; o cristianismo romano que se tornara religião oficial do estado, sofre profunda reforma incluída a abolição da doutrina da reencarnação; início das perseguições sistemáticas e violentas dos próprios cristãos contra as correntes cristãs que não aceitaram as alterações, e por isso foram consideradas heréticas… Sua primeira vítima foi Árius, teólogo alexandrino que defendeu no Concílio a tese original de que Jesus não era um Deus, mas um homem, em conformidade com o conceito original da Igreja de Jerusalém, líder da doutrina até o ano de 130, quando foi dispersa.
544 – Suposta morte do Rei Arthur, fonte das tradições da “Nobre Cavalaria”, em que cada Cavaleiro assumia um compromisso de honra no propósito de defender o mais fraco, especialmente as damas, a juventude e os desvalidos, procurando aperfeiçoar-se pessoalmente, adotando o caminho cristão de fé, esperança e caridade.
627 – Início da construção da Catedral de York, em pedra, construída por equipe italiana.
635 – Início da construção da Catedral de Winchester, em pedra, construída por equipe italiana.
643 – Nesse ano o rei lombardo Rotaris (governou entre 636 a 652), confirma por édito, ao privilégios dos Magistri Comacini, os quais são considerados atualmente por alguns historiadores, o elo perdido da maçonaria com os Construtores da Antigüidade, ainda que não existam provas documentais. A Corporação dos Magistri Comacini foi fundada nas ruínas do Colégio Romano de Arquitetos e, na queda do Império Romano (478), refugiaram-se na ilha fortificada de Comacino, no Lago Como. Os Comacinos eram arquitetos livres, celebravam contratos e não estavam submetidos a tutela nem da Igreja nem dos senhores feudais.
664 – A Igreja Celta, ainda da corrente cristã original de Jerusalém, se submete ao catolicismo romano.
674 – Inauguração da Igreja de Wearmouth, nas Ilhas britânicas, construída pelo Comacini. Nesse dia foi publicado um documento de apresentação citando frases do Édito de 643 do rei lombardo Rotaris em benefício dos Magistri Comacini.
679 – Assassinato de Dagobert II, o último Rei legítimo da dinastia merovíngia, morto em 23 de dezembro, na floresta de Woëvres. Nos ¾ de século seguinte, os reis – ainda que indiretamente merovíngios – eram de ramos paralelos e não descendiam de Dagobert, de Clóvis ou diretamente de Mérovée, e nada mais foram do que fantoches nas mãos dos “Mayors” (espécie de prefeito do palácio real), e diversos foram simplesmente eliminados. Eles são conhecidos como reis que não tiveram o poder de governo! Historicamente a dinastia merovíngia termina com a morte de Childeric III, em 754; de fato e para todos os efeitos, Pepin, o Gordo, Mayor do Palácio, assume a direção do governo com a morte de Dagobert II, e transmite seu cargo a seu filho Carlos Martel, iniciando efetivamente a dinastia carolíngia.
712 – Por intermédio de uma pedra gravada provavelmente neste ano, sabe-se que a Guilda ou Corporação dos Magistri Comacini estava constituída de Mestres e Discípulos, obedeciam a um Grão Mestre ou Gastaldo, denominavam de Loja seus locais de reunião, possuíam juramentos, toques manuais e palavras de passe para reconhecimento, usavam aventais brancos e luvas, seus emblemas principais eram: esquadro, compasso, nível, prumo, arco, corda e reverenciavam os 4 Mártires Coroados como patronos da Corporação.
732 – Vitória dos francos liderados por Carlos Martel sobre os árabes, em Poitiers, na prática já sob a dinastia carolíngia. Com a morte do suposto último merovíngio (679) a dinastia carolíngia usurpa o trono com a conivência da Igreja Católica Romana. Seu mais notável rei foi Carlos Magno, que transformou seu império na maior potência de seu tempo.
830 – Construção da Abadia de Santo Aurélio de Hirsáugia, concluída em 837.
911 – O Duque Guilherme I, de descendência merovíngia, patrocina a construção de Cluny, em pedra, iniciando a retomada de construções religiosas em pedra.
911 – Após a morte de Carlos, o gordo, em 888, os reinos que lhe deviam obediência, privados de herdeiros legítimos, fragmentaram-se. A fim de eliminar as incessantes e prejudiciais partilhas por herança do rei morto, comuns no período merovíngio e carolíngio, a Alemanha tornouse com a morte de Luis, o menino, um reino eletivo. Os duques passam a eleger o Rei, com apoio dos demais nobres e aprovação do povo.
925 – Sobe ao Trono Æthelstan (895 a 940), neto de Alfred, o Grande (849 a 899) que deu início à valorização dos Maçons em 899, valorização que seu neto deu continuidade. Æthelstan sucedeu Edward, o Velho, no trono de Wessex. Æthelstan foi o primeiro rei inglês a ser coroado na Pedra do Rei em Kingston-upon-Thames. Foi um grande político, guerreiro e protetor das Ordens monásticas e da arte maçônica. O manuscrito Régius, o mais antigo documento maçônico preservado, faz referência ao Rei Æthelstan como introdutor da Maçonaria na Inglaterra e seu protetor. O manuscrito Cooke do século XV – possivelmente baseado no Régius – também faz referência a Æthelstan, cujo filho Edwin teria aprendido a arte da geometria e a arte de pedreiro, dedicando-se a construção.
936 – A Segunda Assembléia da Fraternidade, conhecida pelas Tradições, foi convocada pelo Príncipe Edwin, filho do rei Æthelstan, na cidade de York. Nesta Assembléia nasceram as Constituições Góticas com 15 artigos que é conservada pela Grande Loja de York e está dividida em três partes, a saber: um preâmbulo em forma de oração, um resumo histórico da arte de construir e os Estatutos da Corporação ou Loja. Tais Assembléias foram realizadas durante muitos séculos. A Constituição Gótica foi utilizada como uma das fontes de consulta por James Anderson e Desagulher para elaboração da Constituição dos Maçons de 1723.
989 – Na Aquitânia, a partir de Norbone, a Igreja inicia sistematicamente a divulgação do ideal de uma Cavalaria voltada para a honra, à defesa da fé e do mais fraco.
1015 – Constituição da Oficina para a construção da Catedral de Estrasburgo.
1030 – Inicio da construção da igreja abacial de Conques, concluída em 1080.
1031 – Início da construção da igreja de Santa Maria de Ripoll.
1045 – Início da construção da igreja de Saint-Hilaire, concluída em 1080.
1062 – Início da construção da igreja Trinité de Caen, concluída em 1083.
1063 – Início da construção da Catedral de Pisa, concluída em 1119.
1066 – Início da construção do Mosteiro de Monte Cassino, concluído em 1128. Os maçons que trabalharam na construção eram de Amalfi, Itália, e tinham por padroeiro Santo André.
1070 – Fundação da Ordem dos Hospitalários de São João, por Gerard de Tom, apoiado por um grupo de comerciantes. Sua regra foi aprovada em 1113 pelo papa Pascoal II; em 1126 a Ordem passa a ter também característica ordem militar, provavelmente inspirada nos Templários, adotando o título distintivo de Ordem dos Cavaleiros Hospitalários de São João de Jerusalém; em 1310 ao conquistar a Ilha de Rodes passou a denominar-se Ordem dos Cavaleiros de Rodes; em 1834 adotam o título distintivo de Ordem dos Cavaleiros de Malta em memória da ilha que foi sua sede de 1530 a 1798 (quando a perderam para Napoleão, visto que sua regra, assim como a dos Templários, os proibia de lutar contra cristãos) e, atualmente, intitula-se Ordem da Cruz de Malta. Essa Ordem Militar da Igreja Católica possui ainda status de um país independente, com assento na ONU e representação diplomática em muitos países, tendo sido beneficiária – por bula papal – de diversos bens e propriedades quando da extinção dos Templários.
1072 – Início da construção da Catedral de Lincoln, concluída em 1092.
1076 – Início da construção da igreja de Saint-Sernin de Toulouse, concluída em 1119.
1078 – Início da construção da Catedral de Saint-Trophine, concluída em 1220.
1078 – Início da construção da Catedral de Santiago de Compostela, concluída em 1128.
1080 – Início da construção da Catedral de Saint-Benoit du Loire, concluída em 1108.
1086 – Tem início com a tomada de Toledo, a reconquista da península ibérica, que esteve por séculos nas mãos dos muçulmanos. A reconquista só se consolidou em 1492 com a conquista de Granada.
1088 – Início da construção da igreja abacial de Cluny, concluída em 1109.
1093 – Início da construção da Abadia Maria Laach, concluída em 1156.
1093 – Início da construção da Catedral de Durham, concluída em 1130.
1095 – Início da construção da Catedral de São Marcos, concluída em 1500.
1095 – O papa Urbano II conclama os estados cristãos a libertarem a “Terra Santa”; as Cruzadas têm início pregada por Pedro, o eremita.
1096 – Início da construção da Catedral de Vézelay, concluída em 1132.
1096 – Tem início efetivo a primeira cruzada, denominada Cruzada Senhorial ou Cruzada dos Barões (não teve a participação de nenhum monarca), liderada por Godfroi de Bouillon (Godofredo de Bulhões), que se estendeu até 1099 (ou 1102 segundo outras fontes).
1099 – Os cruzados tomam Jerusalém em 15 de julho, perpetrando um banho de sangue entre muçulmanos e judeus. É fundado o Reino Franco de Jerusalém.
1099 – Godfroi de Bouillon, duque de Lorraine e conquistador de Jerusalém, alegado descendente da Casa Real de Davi, acompanhado de 120 altas dignidades européias, funda a Ordem do Monastério do Sinai (ou Priorado de Sion), em Jerusalém, a qual cria em torno de 1114/8 a Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo do Rei Salomão, ou Cavaleiros Templários, como ficou mais conhecida na história, sendo até 1188 (período em que sempre tiveram o mesmo Grão Mestre), o braço armado do Monastério do Sinai. Desde então, até sua extinção em 1313, possuíram administrações independentes.
1100 – Início da construção da Catedral de Mogúncia, concluída em 1234.
1101 – Início da construção da Catedral de Angoulême, concluída em 1128.
1102 – Início da construção da Catedral de Sarum, sem registro da data de conclusão.
1114 – Os Templários já estão ativos, provavelmente apenas como um “braço armado do Priorado de Sion”. No mesmo ano o famoso São Bernardo de Clairvaux considera a possibilidade de ingressar na Ordem dos Cavaleiros Templários.
1115 – Criada em Colônia a Fraternidade dos Irmãos Magos sob a divisa “nom omnis moriar”, um ramo rosa-cruz reinstalado em 1563 com o nome de Irmãos da Dourada Rosa-Cruz.
1115 – Início das experiências com o estilo gótico em Marienval.
1117 – Godfroi de Bouillon sente-se obrigado a negociar a fundação pública dos Cavaleiros Templários; o fato ocorreu na localidade de Saint-Léonard de Acre.
1118 – Fundação pública da Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo do Rei Salomão, ou Cavaleiros Templários. Autores mais recentes afirmam que o surgimento público só teria ocorrido em 1119. Os primeiros nove Cavaleiros permanecem na Terra Santa até 1127 sem receber novos integrantes. Historiadores afirmam que nesse período eles escavaram os subterrâneos do Templo de Salomão em busca da Arca da Aliança e demais tesouros e objetos rituais do Templo e uma coleção de manuscritos, os quais teriam sido transportados em segredo para a Europa, ocultos no período da tentativa de aniquilação da Ordem do Templo em 1307 e transportados para a América do Norte antes da primeira Grande Guerra Mundial. O fato é que após o seu retorno em 1127 a Ordem atinge grande poder material e influência política, obtendo grande respeito por sua devoção espiritual e capacidade bélica.
1120 – Início da construção da Catedral de Saint-Front du Périgueux, concluída em 1173.
1120 – Os Templários encontram manuscritos e utensílios do culto judaico original enterrados sob o santo dos santos do Templo de Yahweh.
1120 – Início da construção da Catedral de Auton, concluída em 1178.
1120 – Início da construção da Catedral de São Zenão de Verona, concluída em 1178.
1120 – Início da construção da Catedral de Salamanca, concluída em 1178.
1128 – A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão adotam o nome de Ordem dos Cavaleiros do Templo e encerram as escavações que realizavam no subterrâneo do Templo de Salomão, onde teriam encontrado documentos relacionados às dinastias judaicas, antigos livros da religião judaica e do cristianismo primitivo.
1129 – Concílio de Troyes o qual aprova a Regra dos Templários, tendo por base a dos cistercienses; o projeto foi desenvolvido por São Bernardo que, no ano seguinte, publica o seu famoso Elogio à Nova Cavalaria. Bernardo morre em 1153.
1130 – Início da construção da Abadia de Fontenay, gótico primitivo, concluída em 1147.
1130 – Início da construção da Catedral de Parma, concluída em 1150.
1130 – Início da construção da Catedral de Santo Estevão de Sens, concluída em 1164.
1132 – Início da construção da igreja abacial de Saint-Denis, gótico primitivo, concluída em 1189.
1134 – Início da torre norte da Catedral de Chartres.
1139 – Conclusão dos castelos dos Templários na Terra Santa: Baghras, Darbask, Destroit, La
Roche, De Roussel e Port Bonnet.
1140 – A Regra Latina original dos Cavaleiros Templários é traduzida para o francês,
reformada e ampliada, tornando-se – em muitos pontos – antagônica à original. A total
independência dos poderes constituídos (civil e eclesiástico) tem início na primeira regra, mas é
tornada absoluta nesse ano, inclusive aceitando – a título de penitência – cavaleiros que tivessem
sido excomungados, os quais eram imediatamente absolvidos da excomunhão.
1140 – Acredita-se que nesse período os documentos encontrados nos subterrâneos do Templo
de Salomão pelos Templários foram transportados para a propriedade do Clã Saint-Clair, em
Kilwinning, na Escócia.
1140 – Início da construção da Catedral de Noyon, sob a égide direta dos Templários2.
1143 – O imperador Manoel Comeno, em Bizâncio,
expulsa os bogomilos, a heresia tende a se difundir na Europa.
1145 – Início da construção da Catedral de Angers,
concluída em 1230.
1147 – Tem início à segunda cruzada, liderada por Luís VII
(Rei da França) e Conrado II (Imperador da Alemanha), e que se
estendeu até 1149. Foi um malogro pela falta de articulação entre
os dois líderes.
1148 – Início da construção da Catedral de Lê Mans,
concluída em 1300.
1149 – Gaza é doada aos Cavaleiros Templários.
1150 – Fundação (suposta) da Ordem Real de Héredom de
Kilwinnig.
1151 – Início da construção da Catedral de Noyon,
concluída em 1220.
1153 – Início da construção da Catedral de Senlis, concluída em 1191, sob a égide direta dos
Templários.
1153 – Início da construção da Catedral de Notre-Dame de Paris, concluída em 1260, sob a
égide direta dos Templários.
1153 – Início da construção da Catedral de Laon, concluída em 1207, sob a égide direta dos
Templários.
1160 – Reforma da Regra da Ordem dos Cavaleiros Templários.
1160 – Início da construção da Abadia de Pontigny, cisterciense, concluída em 1180.
1162 – Início da construção da Catedral de Poitiers, concluída em 1271.
1166 – Início da construção da Catedral de Poitiers, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1167 – O arcebispo bogomilo Nicetas, acompanhado pelo diácono cátaro italiano Marcos e
diversos bispos cátaros franceses, se reúnem no Languedoc, elegem chefes espirituais para
Toulouse e Carcassonne e procuram unificar a seita Catar européia.
1170 – Início da construção da Catedral de Sens, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1170 – Início da construção da Catedral de Lisieux, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
2 Diversas Igrejas, Mosteiros e Catedrais foram construídas diretamente sob a égide dos Templários ou com seu apoio
material e projetos.
1170 – Peter Waldo cria em Lyon uma fraternidade que se torna conhecida como Valdenses;
seu objetivo é o retorno aos puros ensinamentos de Cristo diante da corrupção da Igreja Católica
Romana. Também estavam em conflito com a igreja oficial no que tange a doutrina da
transubstanciação, de sorte que o papa Lúcio III os excomungou e o papa Sexto IV declarou uma
cruzada contra eles em 1477. A despeito do que se fez para eliminá-los eles sobreviveram com o
nome de Irmãos Boêmios. Uma das maiores expressões dessa fraternidade foi Comenius (Jan Amos
Komensky), nascido em Brünn, Boêmia, em 1592, o qual foi capelão dos Irmãos Boêmios a
primeira grande expressão da pedagogia moderna. Foi integrante ativo da Fraternidade Rosa-Cruz e
seu trabalho foi decisivo na expansão da Rosa-Cruz na Hungria, Transilvânia, Suécia e Inglaterra.
Anderson ao elaborar sua compilação conhecida como Constituição de 1723, baseou-se nos
ensinamentos éticos de Comenius, de quem compilou diversos trechos.
1171 – Início da construção da Catedral de Tournai, sem registro da data de conclusão.
1171 – Início da construção da Basílica de Monreale, Sicília, sem registro da data de
conclusão.
1175 – Início da construção da Catedral de Soissons, concluída em 1212.
1175 – Início da construção da Catedral de Canterbury, concluída em 1192.
1176 – O imperador Rodolfo I concede privilégios aos “steinmetzen” (maçons) da Catedral de
Habsburgo, cuja Loja é liderada pelo Mestre de Obras Erwin de Steinbach.
1180 – Início da construção da Catedral de Agde, concluída em 1330.
1180 – Início da construção da Catedral de Wells, concluída em 1239.
1185 – Início da construção da Catedral de Palermo, sem registro da data de conclusão.
1187 – Batalha de Hattin; Jerusalém volta a cair nas mãos dos turcos chefiados por Saladino.
1188 – Jean de Gisors teria fundado nesse ano a Fraternidade Rosa-Cruz.
1189 – O Concílio de Rouen condena as Confrarias de Maçons em virtude da existência de
segredos, tanto do ofício quanto do resultado de suas assembléias, e de supostos ritos de recepção e
de inauguração do local (canteiro de obras) de construção. É a primeira de muitas condenações!
1189 – Tem início à terceira cruzada, que se estendeu até 1192. Foi liderada por Frederico
Barba-Roxa (Imperador da Alemanha), Felipe Augusto (Rei da França) e Ricardo Coração de Leão
(Rei da Inglaterra). Frederico morre acidentalmente na travessia de um rio e seu exército fica
imobilizado. Diversas cidades são retomadas, menos Jerusalém. Diante do numeroso inimigo os
franceses recuam e os ingleses firmam um acordo com Saladino, que autoriza a peregrinação cristã
a Terra Santa.
1190 – Fundação da Ordem Teutônica por burgueses de Bremen e Luebeck, para proteger os
alemães na Terra Santa. Em 1191 foi transformada em Ordem Militar e adotou a regra Templária
em 1198, ainda que não tenha se destacado nas Cruzadas. Em 1226, recebeu a Prússia, cuja
população era pagã, do duque polonês de Cujávia, com a missão de conquistar e converter a região,
e participou das conquistas alemãs nas regiões bálticas e eslavas. A batalha de Tannenberg em 1410
e a paz de Thor em 1466 definiram sua extinção.
1190 – Início da construção da Catedral de Bamberg, concluída em 1274.
1190 – Início da construção da Abadia de Alcobaça, concluída em 1220.
1190 – Início da construção da Catedral de Lyon, concluída em 1271.
1191 – Com Jerusalém perdida (primeira sede dos Templários) os Cavaleiros Templários
transferem sua sede para Acre.
1191 – Anunciada a descoberta do túmulo do Rei Arthur na Abadia de Glastonbury.
1192 – Início da construção da Catedral de Bruges, concluída em 1270.
1194 – Início da construção da versão atual da Catedral de Chartres, sob a égide dos
Templários, concluída em 1260. A construção original, feita em madeira sobre uma gruta, remonta
ao século IV. Em 1836 um incêndio destruiu o teto que foi totalmente recuperado.
1202 – Pregada pelo papa Inocêncio III a quarta cruzada, que durou dois anos (até 1204)
conseguiu recuperar Constantinopla, estabelecendo o Império Latino de Constantinopla.
1205 – Início do massacre dos Cátaros pela “Santa” Inquisição…
1208 – Tem início por ordem do papa Inocêncio III a Cruzada Albigense, na França, uma
cruzada contra cristãos considerados hereges pela Igreja Católica de Roma, também denominados
de Cátaros, ou seguidores da seita Cátar, localizados principalmente no sul da França. Tem início
um banho de sangue, como poucas vezes o fanatismo religioso foi capaz de produzir!
1212 – Início da Cruzada das Crianças. Na crença de que o Santo Sepulcro só poderia ser
conquistado por crianças, pois estas estavam isentas de pecado, foram reunidas 20.000 crianças
alemãs e 30.000 francesas e enviadas para Jerusalém. As que não morreram no caminho foram
mortas ou vendidas como escravas no Oriente. Nenhuma voltou!
1214 – Início da construção da Catedral de Notre-Dame de Reims, concluída em 1300, sob a
égide dos Templários.
1215 – Início da construção da Catedral de Auxerre, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1217 – A quinta cruzada prolongou-se até 1229 e foi chefiada por André II, Rei da Hungria,
dirigida contra o Egito, foi um total fracasso.
1218 – Início da construção da Catedral de Coutances, sem
registro da data de conclusão, sob a égide direta dos Templários.
1220 – Início da construção da Catedral de Notre-Dame de
Amiens, concluída em 1270, sob a égide direta dos Templários.
1220 – Início da construção da Catedral de Salisbury, concluída
em 1266.
1220 – Início da construção da Catedral de Bruxelas, concluída
em 1273.
1220 – Surge na França à palavra “maçonner” para designar os
pedreiros especializados ou artistas da construção.
1227 – Início da construção da Catedral de Trier, concluída em 1253.
1227 – Stephen Langton, professor universitário parisiense, depois eleito Bispo de Cantuária,
introduz a divisão da Bíblia em capítulos, para facilitar a consulta. Sua sugestão foi aceita por
cristãos e judeus.
1227 – Início da construção da Catedral de Toledo, concluída em 1418.
1228 – A sexta cruzada, liderada por Frederico II Hohenstaufen, Imperador da Alemanha, teve
como resultado um acordo com o Sultão do Egito que previa dez anos de trégua e permissão aos
peregrinos cristãos para visitar o Santo Sepulcro.
1228 – Início da construção da Basílica de São Francisco de Assis, concluída em 1233.
1229 – Início da construção da Catedral de Toulouse, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1233 – O papa Gregório IX dirige, em 20 de abril, uma bula aos dominicanos criando um
tribunal permanente a ser por eles dirigido contra toda e qualquer heresia. Está criada oficialmente a
“Santa Inquisição” de triste e sangrenta memória e que inicia suas atividades em Toulouse no ano
seguinte, quando dois Inquisidores são nomeados. Por incrível que possa parecer, a instituição
“Santa Inquisição” jamais foi suprimida, apenas trocou de nome, atualmente: Congregação para
defesa da fé.
1230 – Início da construção da Catedral de Toulouse, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1244 – Em 16 de março a resistência de Montségur, o último bastião de defesa dos cátaros,
cede e se rende; seu efetivo de 215/225 pessoas é dizimado numa fogueira, homens e mulheres de
todas as idades, crianças e velhos, impiedosamente.
1244 – A cristandade perde em definitivo Jerusalém para os muçulmanos turcos.
1244 – Nasce Jacques de Molay, que será o último Grão Mestre Geral da Ordem dos
Cavaleiros Templários.
1245 – Início da construção da Abadia de Westminster, concluída em 1268.
1247 – Início da construção da Catedral de Beauvais, concluída em 1172, sob a égide direta
dos Templários.
1248 – A sétima cruzada, liderada por Luís, Rei da França, a despeito de eventuais vitórias,
resultou no aprisionamento do rei Luís, depois São Luís, o conflito terminou em 1254.
1248 – Início da construção da Catedral de Clermont-Ferrand, sem registro da data de
conclusão, sob a égide direta dos Templários.
1249 – Início da construção da Catedral de Colônia, sem registro da data de conclusão.
1250 – Início da construção da Catedral de Sens, concluída em 1326.
1250 – Início efetivo da construção da Catedral de Estrasburgo, concluída em 1318, sob a
égide direta dos Templários.
1250 – Início da construção da Catedral de Upsala, Suécia, concluída em 1435.
1257 – Reforma da Regra dos Cavaleiros Templários.
1260 – Início da construção da Catedral de Metz, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1260/1328 – Período em que viveu Meister Eckhart, filósofo, teólogo e místico dominicano,
cujas obras influenciaram diversos pensadores desde então.
1262 – Início da construção da Catedral de Troyes, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1265/1321 – Período em que viveu Dante Alighieri, suposto Rosa-Cruz, autor de A Divina
Comédia.
1268 – Etienne Boileau, preboste do Rei da Franca, manda redigir o Livro dos Ofícios,
codificação dos estatutos das confrarias parisienses.
1269 – O futuro São Luís, Rei da França, organiza a nona cruzada, sem sucesso, morrendo o
rei de peste, que dizimou quase a totalidade da expedição. O conflito terminou em 1272.
1272 – Início da construção da Catedral de Narbone, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1273 – Início da construção da Catedral de Limonges, concluída em 1329.
1275 – O Imperador Rodolfo I autoriza o funcionamento da Companhia de Maçons.
1275 – Primeira Assembléia Geral dos Maçons Operativos Alemães.
1277 – O Papa Nicolas III concede aos Magistri Comacini exclusividade para construir
templos na cristandade, que depois teriam adotado o nome de maçons e, por desempenhar tão nobre
missão, ficaram desobrigados do pagamento de impostos e da servidão feudal. Não existem provas
do fato; trata-se de mais uma lenda maçônica?
1277 – Início da construção da Catedral de Rodez, sem registro da data de conclusão, sob a
égide direta dos Templários.
1278 – O papa Nicolau III concede uma carta de indulgência aos Maçons de Estrasburgo. A
referida carta foi renovada por seus sucessores até Benedito XII em 1340.
1282 – Início da construção da Catedral de Albi, concluída em 1480.
1291 – Início da construção da Catedral de York, concluída em 1342.
1291 – Acre é tomada pelos Mamelukes e os Templários se obrigam a evacuar Atlit e Tortosa.
1292 – Um documento cita a palavra “Loja” para designar o local de reunião dos Maçons
(segundo: As Origens Religiosas e Corporativas da Maçonaria).
1292 – Jacques de Molay é eleito Grão Mestre Geral dos Cavaleiros Templários.
1305 – Robert Bruce é excomungado. No mesmo ano Clemente V é eleito papa.
1306 – Robert Bruce é coroado Rei da Escócia.
1307 – O Rei Felipe IV da França manda prender os Templários em todo o território francês
na manhã de sexta feira, 13 de outubro, sob acusação de heresia. Foi a maior operação policial da
Idade Média. Apesar de todo o segredo determinado (a ordem de serviço foi distribuída
previamente em todo o reino, mas só podia ser aberta no dia 13), é provável que as más intenções
do rei tenham sido descobertas pelos Templários que, como organização militar, deviam possuir
muitos informantes; o fato é bem aceito pelos historiadores, uma vez que sua esquadra zarpou com
destino ignorado previamente, provavelmente conduzindo o famoso tesouro templário que jamais
foi localizado. Em 27 de outubro do mesmo ano o Papa Clemente V ordena aos reis Católicos que
prendam os Templários em seus reinos, o que foi desconsiderado pela maioria; alguns acataram a
ordem nos anos seguintes sob ameaça de excomunhão.
1308 – Na esperança de se reconciliar com a Igreja (ou ganhar tempo?…) cerca de sessenta
Templários – inclusive Jacques de Molay – se declaram culpados durante o interrogatório realizado
no Castelo de Chinon.
1309 – Início das Comissões Papais na França para ouvir os Templários.
1310 – Inicio do Julgamento dos Templários em fevereiro; em novembro a defesa dos
Templários sucumbe.
1311 – Início dos trabalhos do Concílio de Viena, que votou pela extinção dos Templários “a
pesar de não encontrar neles culpa”, segundo a bula do Papa Clemente V: “Vox in excelso”.
Depois de dois anos de trabalhos sem chegar a uma conclusão oficial sobre os Templários, o Rei
Felipe da França mandou cercar o local do Concílio e proibiu a entrada ou saída de pessoas ou
alimentos até a decisão final ser declarada oficialmente.
1312 – O Papa emite a bula “Ad provida” transferindo os bens dos Templários para os
Hospitalários e incorporando todos os Irmãos do Templo que haviam se reconciliado com a Igreja
de Roma.
1314 – Em 18 de março, Jacques de Molay é queimado em fogo lento numa pira erguida na
Île de France, juntamente com Geoffroi de Charney, Comendador da Normandia. A Ordem dos
Cavaleiros Templários tinha sido dissolvida pelo papa Clemente V e seus bens e membros
sobreviventes distribuídos para Ordens similares. A principal beneficiária foi a Ordem dos
Cavaleiros Hospitalários de São João de Jerusalém, que existe ainda hoje com o nome de Ordem da
Cruz de Malta. Um mês depois morre o Papa; em novembro morre o rei Felipe IV, o maior
perseguidor dos Templários.
1314 – A 24 de junho, dia de São João, ocorre a Batalha de Bannockburn
na Escócia, cuja vitória escocesa foi decidida pela participação dos Templários
ao lado de Robert Bruce.
1316 – O Barão de Montanor e Gaston de La Pierre Phoebos, oriundos
dos recentemente extintos Templários, fundam na França com a colaboração de
diversos outros irmãos europeus, a Ordem dos Irmãos Primogênitos da
Rosacruz.
1319 – Dom Diniz funda em Tomar, Portugal, a Ordem de Cristo em
substituição dos Cavaleiros Templários, extintos pelo papa Clemente V. Todos
os bens e membros Templários em Portugal são incorporados na Ordem de Cristo, sua legítima
sucessora em solo português.
1320 – Foi pago a um homem para que limpasse a “Loja” do Capítulo de Santo Estevão,
Westminster. (Fonte , Quator Coronati).
1321 – Os Templários são presos na Inglaterra após longa resistência do rei.
1326 – No dia 18 de abril, o Concílio de Avignon em seu Cânon XXXVII condena as
Corporações de Construtores, alegando que seus membros se reúnem anualmente, obrigando-se por
juramento à caridade e assistência mútuas, usam o mesmo traje e têm sinais característicos de
reconhecimento, segredos que o Concílio considera intoleráveis. Nessa época, os pedreiros que
construíram a Catedral de York, comiam em comum no interior de suas Lojas (Fonte: Quator
Coronati).
1327 – Os Templários ingleses recebem anistia da Rainha Isabella.
1328 – A Inglaterra reconhece a Escócia como uma nação independente.
1329 – O papa aceita, em 13 de junho, Robert I Bruce como Rei da Escócia. A dinastia Bruce
é legitimada.
1330 – Nascimento de Nicolas Flamel, alquimista, filósofo, rosacruz.
1334 – O Papa Bento XII ratifica a exclusividade dos Magistri Comacini para construir Igrejas
e castelos, concedida em 1277 pelo Papa Nicolas III.
1337 – Início da Guerra dos Cem Anos entre França e Inglaterra. Essa guerra sofreu diversas
pequenas interrupções, terminando em 1453 e praticamente extinguindo o sistema feudal,
fortalecendo a figura do rei. Tem início o absolutismo com Luís XI (1461-1483).
1339 – Início da construção da Catedral de Viena, concluída em 1359.
1354 – O Rei Edward III, da Inglaterra, permite por carta régia que as Companhias de maçons
elejam anualmente seus Vigilantes.
1356 – No dia 02 de fevereiro, doze maçons liderados pelo Mestre Pedreiro Henry Yevele,
deram entrada na Prefeitura de Londres com um pedido para funcionamento de uma Corporação de
Pedreiros, apresentando um Estatuto no qual já constava que suas reuniões seriam franqueadas
apenas para profissionais admitidos regularmente na arte da construção, e que respeitariam as Leis e
as autoridades constituídas. Foi concedida a autorização.
1376 – Fundação da famosa Companhia dos Maçons de Londres. Pela primeira vez a
denominação “freemasons” é empregada na Inglaterra, na fundação da Companhia dos Maçons de
Londres.
1378 – Nicolas Flamel vai a Espanha em busca de esclarecimento para seus estudos de cabala
e alquimia, transitando pelo Caminho de Santiago de Compostela.
1386 – Início da construção da Catedral de Milão, concluída em 1809.
1390 – O Manuscrito de Halliwell ou Poema Regius provavelmente foi escrito na segunda
metade do século XIV, conforme opinião de seu descobridor (James Orchard Halliwell, antiquário
inglês, não maçom, que o descobriu na Biblioteca Regia do Museu Britânico, o qual foi publicado
no “Freemason Magazine” em Junho de 1815). Alguns estudiosos defendem que o ano mais
provável de sua elaboração original deve ter sido entre 1425 a 1427; por outro lado, David Casley,
especialista no assunto, estima que o escrito é de 1390. Seja como for, o Manuscrito, atualmente
conservado no Museu Britânico, já pertenceu a Charles Theyer, colecionador do século XVII, quem
o doou para a família real e, em 1757; o rei George II fez sua doação simbólica para o povo inglês e
o depositou na Biblioteca Regia. Sua importância como documento histórico e maçônico foi
descoberto por James Orchard Halliwell e mais tarde Halliwell Phillips o presenteou a Sociedade de
Antiquários de Londres em 18 de Abril de 1839. O nome de Manuscrito Régio foi sugerido por
Gould para o vincular ao estudioso que reconheceu sua importância e a seu doador. Este documento
contém 794 versos em inglês antigo e apresenta a antiga tradição da Corporação, os 15 artigos da lei
com 15 pontos de ampliação, as novas Ordenanças de Geometria e a Lenda dos 4 Santos Coroados.
1410 – Matthew J. Cooke descobre um documento maçônico que ficou conhecido como
“Manuscrito Cooke”, e o publica em 1861. A data de sua elaboração oscila entre 1410 e 1440. O
manuscrito está escrito em prosa (930 linhas) com 19 artigos sobre a historia da Geometria e da
Arquitetura, seguidas dos deveres, uma parte histórica, artigos que regulamentam o Ofício e a sua
organização, os quais teriam sido promulgados na época do rei Æthelstan (895 a 940). Inclui nove
conselhos de ordem moral e religioso e quatro regras relativas a vida social dos maçons. É nesse
manuscrito que aparece pela primeira vez o termo “especulativo” quando trata do filho do rei
Æthelstan. Esse manuscrito também não menciona a figura de Hiram Abif, unicamente fala que na
construção do Templo de Salomão o “filho do rei de Tiro foi seu Mestre”, que alguns interpretam
como sendo a primeira alusão maçônica a Hiram Abif. O historiador Wilhem Begemann indica
Gloucester como o local de origem do Manuscrito.
1436 – Na Biblioteca Bodleian (Oxford, Inglaterra), tida como a Biblioteca em atividade mais
antiga do mundo, encontra-se um manuscrito, supostamente escrito pelo rei Henrique VI em 1436
(reinou de 1421 a 1471) e copiado fielmente por John Leyland. Trata-se de uma espécie de
“catecismo” pois elaborado na forma de perguntas e respostas “referentes ao mistério da
maçonaria”. Trata do cálculo aplicado na construção de edifícios, afirma que a Confraria teve seu
início no Oriente e foi trazida ao Ocidente pelos fenícios; chegou à Inglaterra vinda da França, onde
tinham chegado Obreiros de Crotona, fundada por Pitágoras. Ao que tudo indica as perguntas
representam o exame de um maçom. O rei Henrique VI e depois os nobres da corte teriam sido
iniciados na Fraternidade em 1442. A data de emissão do manuscrito, 1436, indica que o Rei só
tinha 15 anos ao ser iniciado.
1440/1 – Início da construção da Capela de Rosslyn, concluída em 1490/1. Os maçons
envolvidos na obra foram selecionados em toda a Europa e formaram uma Confraria organizada de
forma diferente das demais associações profissionais; essa Loja e sua organização foram elaboradas
por Sir William Sinclair, Senhor de Rosslyn. A família Sinclair (ou Saint Clair), ramo escocês da
família Norman Saint-Clair – Gisors, é reconhecida desde essa época como “Grão-Mestres
hereditários da Maçonaria da Escócia”, conforme atesta um documento de 1599/1601; tal
concessão, segundo a tradição maçônica, foi produzida por James II, que reinou de 1437 a 1460.
1444 – Cosimo de Médici fundou a primeira biblioteca pública da Europa (Biblioteca de San
Marco), desafiando o monopólio do conhecimento detido pela Igreja Católica.
1452 – Nasce em Milão, Leonardo Da Vinci, místico, cientista, pintor e inventor.
1452 – É realizada a famosa Convenção Maçônica de Estrasburgo, Alemanha, convocada por
Erwin de Steinbach e com a participação de arquitetos de Alemanha, Inglaterra e Itália. Nesse
evento foi estabelecido um Código ou Regulamento e organizada a Confraria de Franc-Maçons. Os
artífices foram classificados em três classes: Mestre, Companheiro e Aprendiz, estabelecendo-se
sinais e saudações como método de reconhecimento, parte dos quais foram tomados dos maçons
ingleses. Afirmam os historiadores que nesse evento foram criadas cerimônias simples de admissão
com simbolismo que ocultava doutrinas profundas de filosofia, religião e arquitetura.
1453 – Queda de Constantinopla e fim do Império Bizantino, antigo Império Romano do
Oriente. Constantinopla, depois Bizâncio, passa a ser chamada de Istambul e capital do Império
Otomano, vindo a ser derrotado por tropas cristãs da Espanha, Veneza e Malta em 1571, dando
início à decadência do império.
1455 – Início da Guerra das Duas Rosas, na Inglaterra, que durou 30 anos. Foi uma guerra
entre duas famílias que almejavam o trono, os Lancaster e os York. Ambas possuíam uma rosa em
seu brasão de armas, daí o nome da guerra. Nobres partidários de ambas as famílias se envolveram,
aproximando-se do extermínio. O conflito terminou num acordo em que o pretendente Lancaster,
Henrique Tudor, casou com Isabel de York.
1464 – Foi realizado uma nova Convenção Maçônica em Ratisbona, convocado pela Grande
Loja de Estrasburgo para estudar as divergências com suas congêneres de Colônia, Viena e Berna.
1469 – Nova convenção maçônica promovida pela Loja de Estrasburgo para tratar dos
interesses das Lojas (métodos de trabalho, direitos e obrigações).
1475 – Uma orientação a novos Irmãos diz: “Ainda que muitos antigos documentos da
Fraternidade na Inglaterra tenham sido destruídos ou perdidos nas guerras de saxões e daneses, o rei
Æthelstan (895 a 940), insigne arquiteto, que ordenou traduzir a Bíblia para a língua saxônia no ano
930, uma vez que estabeleceu a paz e a tranqüilidade no reino, construiu grandes obras e estimulou
a muitos maçons vindos da França, nomeando-os sobrestantes. Estes trouxeram consigo as
Obrigações e Regras da suas Lojas, conservadas desde os tempos de Roma e obtiveram também do
Rei a reforma da Constituição das Lojas inglesas segundo o modelo estrangeiro e o aumento de
salários dos maçons operativos”.
1482 – Sob a proteção de Lourenço de Médicis, Masílio Ficint fundou em Varsóvia a famosa
Academia Platônica dedicada ao estudo da metafísica. Suas reuniões eram realizadas em segredo, o
que levou alguns autores a identificarem a Academia com a Maçonaria.
1486 – Pico Della Mirandola publica sua obra “Novecentas Conclusões”.
1498 – Restabelecimento da Loja de Estrasburgo, enfraquecida por distúrbios políticos, tendo
o apoio e incentivo do Imperador Maximiliano I.
1501 – Um decreto de 13 de julho do Parlamento da França proíbe reuniões de pedreiros e
carpinteiros sob pretexto de confraria e eventual conspiração.
1513 – No reinado de Jaime V, da Escócia, humanista fervoroso, o Grande Senhor Saint-Clair,
cuja família foi nomeada protetora e “Grão Mestre perpétuo” das Lojas Escocesas, viajou a Itália e,
entusiasmado com o que ali encontrou, mandou vir maçons italianos, uniu-os aos maçons escoceses
e organizou-os numa confraria que protegida pelo Rei, tomou grande impulso.
1524 – O Concílio de Sens condena as confrarias em geral, supostamente favorecedoras de
monopólios.
1534 – A Igreja da Inglaterra (atual: Anglicana) se separa da Igreja Católica Romana.
1535 – Nos anais de Colônia consta o registro da existência de uma “Fraternidade dos Irmãos
de São João”, um grupo maçônico que parece ter se estabelecido em 1440.
1539 – O Parlamento da França proíbe a existência de Confrarias no reino francês, mas não
obtém resultados, volta a carga em 1576 e 1579, mas as Confrarias sobrevivem.
1547 – Em 26 de fevereiro, em Izancanaque, México morreu torturado Guatimozín, o último
Imperador asteca. A sua dignidade e a sua bravura na defesa da liberdade de seu povo inspiraram o
então Príncipe D. Pedro, futuro Imperador D. Pedro I, a adotar esse nome ao ser iniciado em 1822,
conforme o costume da época.
– Henrique VIII confisca muitas possessões dos pedreiros agrupados em Lojas.
1550 – Cornélio Agripa publica “A Filosofia Secreta”.
1551 – Robert Stephanus, impressor parisiense, introduz a divisão da Bíblia em versículos
para facilitar ainda mais a consulta. Sua iniciativa foi aprovada e adotada por cristãos e judeus.
1554 – Hierónimo de San Pedro publica em Valência o mais importante livro da cavalaria
esotérica ou mística: Celestial Cavalaria. Os títulos de seus capítulos citavam a rosa, como por
exemplo: A Raiz da Rosa Fragrante, ou As Folhas da Rosa.
1561 – Nascimento de Sir Francis Bacon, em 22 de janeiro, Londres; filósofo, cientista,
político e maçom.
1563 – Em 22 de setembro reúnem-se na Basiléia, 72 Mestres de Lojas para revisão dos
Estatutos da Confraria. Na mesma oportunidade a Loja de Estrasburgo foi indicada como Grande
Loja em função de sua Antigüidade, e a ela as demais se reportavam em suas dúvidas e conflitos. À
Loja de Strasburg estiveram relacionadas as da Suábia, Hesse, Bavária, Francônia, Saxônia,
Turíngia, Moselle, Dresden, Nurenberg, Viena, Hungria, Stirmarck, Zurique e as da Suíça.
1564 – John Dee publica “A Mônada Hierogrífica”.
1564 – Última Assembléia Geral dos Maçons Operativos Alemães – Strasburg.
1571 – Os otomanos destroem os arquivos dos Templários em Chipre.
1574 – Nasceu em Milgate, Kent, Robert Fludd, médico, escritor, membro do conclave que
traduziu a Bíblia (versão do Rei Jaime), um dos fundadores do renascimento inglês.
1575 – Nasce em Görlitz, Alemanha, o príncipe dos filósofos, Jacob Bohem, filósofo,
alquimista e rosacruz.
1580 – Circula a obra “Tesouro dos Tesouros da
Fraternidade da Dourada Rosa+Cruz”.
1583 – Jaime Stuart se torna Jaime VI da Escócia.
1586 – Nascimento de Johann Valentin Adreae, em 17 de
agosto, Würtenberg; pastor luterano, alquimista e rosacruz.
1592 – Nascimento de Comenius (Jan Amos Komensky),
em 28 de março na Moravia; teólogo, pastor, rosacruz, o
primeiro grande pedagogo, na verdade desenvolve uma nova
pedagogia, inspirado nas idéias de Francis Bacon e Campanella,
que ele qualifica de “restauradores da sabedoria”; seu maior
sonho era a criação de uma Pansofia, uma doutrina que
harmonizasse todas as ciências e religiões. Anderson se inspira
também em suas obras ao preparar a Constituição de 1723.
1596 – Nasce em Estocolmo, a 31 de março, René Descartes, rosacruz, cientista e filósofo
cujas idéias influenciaram tremendamente o novo formato dado a Maçonaria moderna, fundada em
1717 em Londres.
1598 – O Rei Jaime VI Stuart, ainda não iniciado na Maçonaria, percebendo a evolução e
crescimento da Ordem, nomeia um autêntico líder maçônico, William Schaw, para o cargo de
Guardião Geral do Ofício. No mesmo ano, a 28 de dezembro, ele publica a primeira edição do
volume intitulado “Os Estatutos e as Ordenações a serem observadas por todos os Mestres Maçons
dentro deste Reino”, ou, como é popularmente conhecido hoje “Estatutos de Schaw”, onde
estabelece o sistema de Lojas, ordena a hierarquia e a forma de reunião, tendo por base documentos
do período de Rosslyn. É nesse ano que ocorre a primeira reunião em Loja.
1599 – Segunda edição dos Estatutos de Schaw.
1600 – Os historiadores admitem que no dia 08 de junho, foi iniciado na Loja da Capela de St.
Mary’s, o Lord Aushinleck (John Boswell), “esquire” de Auschinleck, tido como o primeiro não
profissional a ser admitido na Maçonaria, o que não é um fato. As iniciações de não profissionais
tiveram início antes, ainda que não tenham sobrevivido documentos comprobatórios.
1601 – O Rei Jaime VI da Escócia, depois Jaime I da Inglaterra, nascido a 19 de junho de
1566, é o primeiro Rei conhecido como maçom, tendo sido iniciado em 1601 na Loja de Scoon e
Perth nº 3 (na lista da Grande Loja da Escócia), aos 35 anos.
1603 – A forma atual do grau de Companheiro (dedicado ao trabalho e a ciência) é
introduzida por Francis Bacon, com o beneplácito do Rei Jaime.
1604 – Simon Studion publica “Naometria”.
1604 – Abertura simbólica da Tumba de Christian Rosencreutz.
1606 – Johanes Kepler publica “Stella Nova”, na qual discutia temas políticos e científicos.
1607 – Manuscrito de Inigo Jones, senhor de Saint-Clair.
1610 – A “Fama Fraternitatis Rosae Crucis” circula em manuscrito, no Tirol, Alemanha.
1610 – Galileu confirma o sistema heliocêntrico.
1614 – Publicação da “Fama Fraternitatis ou Confraria da Mui Louvável Ordem Rosae
Crucis” (Ratisbona, Regensburgo), relatando a origem e organização da Ordem, breve histórico.
1615 – Publicação do “Confessio Fraternitatis – ou Confissão da Insigne Confraria da Muito
Honrada Rosa-Cruz Dirigida aos Homens de Ciência da Europa” reafirmando a necessidade de
moralização do clero, a importância da independência para a ciência e da adoção de um sistema
político mais justo e igualitário.
1615 – Julius Sperber publica: “Eco da Fraternidade Iluminada por Deus” em Danzig.
1616 – Publicação da obra “Núpcias Químicas de Christian Rosenkreutz no ano de 1459”.
Organizado em sete viagens ou jornadas é a descrição simbólica de uma iniciação e as instruções
morais a ela relacionadas.
1616 – Michel Maier, médico do imperador Rodolfo II, entra em contato com Robert Fludd e
Francis Bacon, em Londres. Os três personagens são tidos como Rosacruzes e teriam participado da
elaboração do novo formato maçônico, ou Maçonaria Especulativa.
1618 – Joseph Stellatus publica seu “O Pégaso do Firmamento”.
1622 – Cartazes são fixados em Paris comunicando a chegada dos Rosacruzes, causando
grande agitação e inúmeras especulações, visto que anunciava que quem tivesse mérito seria
convidado a ingressar na Ordem.
1624 – Morre Jacob Boëhme, o príncipe dos filósofos.
1624 – Herbert de Cherbury publica sua obra “De Veritate” na qual pela primeira vez é
apresentada a doutrina do deísmo, ou a tese de uma religião natural, revelada à razão humana, sem
fundamento na razão histórica. Seu maior expoente inglês foi Johan Toland, autor de “Cristianismo
Não Misterioso” de 1696.
1625 – Charles I sobe ao trono da Inglaterra.
1628 – Um segundo documento confirma o Conde de Rosslyn, da Casa de Sinclair, como
Grão Mestre da Maçonaria da Escócia.
1628 – Stolcius e Stolcenberg publicam “Viridiarium Chymicum”.
1628 – Robert Fludd publica o “Summum Bonum dos Verdadeiros Irmãos da Rosacruz”.
1633 – O Rei Carlos I manda reformar a Abadia de Holyrood para sua coroação escocesa e
manda incorporar pedras tumulares maçônicas na parede norte da Abadia, incluindo ai a pedra
tumular do Conde de Sutherland.
1641 – Sir Robert Moray, general do Exército da Escócia, é iniciado maçom em Newcastle, a
20 de maio, segundo garantia da Loja St. Mary’s Chapel, em Edimburgo. Sir Moray foi fundador e
primeiro presidente da Sociedade Real. Na mesma data são iniciados o sábio antiquário (e
alquimista rosacruz) Elias Ashmole, o Coronel Mainwaring entre outros.
1642 – Nasce em Lincolnshire, a 25 de dezembro, Sir Isaac Newton. Descendente da nobreza
escocesa, foi educado em Cambridge, ingressou na Sociedade Real em 1672, da qual foi presidente
em 1703. Foi um grande estudioso da geometria sagrada, das leis naturais e da numerologia.
1643 – Início da Guerra Civil inglesa que se prolonga em sua fase principal até 1646.
1649 – Charles I é executado (por decapitação).
1649 – Henriqueta da França, filha de Henrique IV, após a decapitação do Rei Charles I no
mesmo ano na Inglaterra, se refugia no castelo de Saint-Germain-em-Laye, sob proteção da França.
A acompanham diversos nobres irlandeses e escoceses, entre eles diversos maçons.
1649 – Estabelecimento da “Commonwealth” sob o governo de Cromwell.
1650 – O castelo de Rosslyn é destruído, mas, a capela é preservada pelas tropas de Cromwell
e Monck.
1660 – Charles II restaura a monarquia inglesa.
1660 – Um grupo de Rosacruzes e Maçons fundam no dia 28 de novembro, em Londres, a
Royal Society, a mais antiga sociedade científica que se tem conhecimento.
1662 – O Rei Charles II Stuart manda publicar as obras de Jacob Boëhme.
1662 – Um grupo de maçons cria a Sociedade Real para o Avanço da Ciência.
1666 – O grande incêndio de Londres, inicia em 02 de setembro e consome praticamente tudo
(4/6 da cidade) até o dia 06 (cerca de 40.000 casas e 86 igrejas). Para reconstruir a cidade apenas os
maçons de Londres seriam incapazes, pois 90% dos Obreiros eram especulativos, de tal sorte que o
governo teve que quebrar os privilégios dos Maçons de Londres, permitindo que maçons de todo o
país e do Continente viessem participar da reconstrução, sob coordenação do arquiteto Sir
Christopher Wren (1632-1723), que recebe o cargo de Arquiteto do Rei. Após o período de natural
prosperidade, teve início o grande declínio da Corporação Operativa. As obras de reconstrução
tiveram início em 1670 e trouxeram a modernidade, substituindo materiais de construção
rudimentares pelo tijolo e a pedra, desenvolvendo-se até o ano 1711 pelo menos.
1672 – Isaac Newton eleito membro da Sociedade Real.
1675 – É iniciada a construção da Igreja de São Paulo, em Londres, sendo lançada à pedra
fundamental pelo Rei Carlos II. O Mestre de Obras era o Conde de Arlington e o Arquiteto era Sir
Christopher Wren. A obra foi terminada em 1710.
1676 – Circula um convite que demonstra a ligação fraterna entre organizações distintas como
associações de estudo da Cabala, hermetistas, rosacruzes
e maçons.
1677 – Segundo a tradição, pois não existem
documentos comprobatórios, fundação da Loja Capitular
Conogate Kilwinning, depois (1744) Loja Mater de
Kilwinning, depois Grande Loja Real e Grande Capítulo
da Ordem de Héredom de Kilwinning, introduzido na
França em 1758.
1677 – O Rei Carlos II manda construir na entrada
da casa Holyrood o Símbolo da Coroa do Santo Arco
Real, usado por seu pai (Carlos I) em sua campanha
contra o Parlamento.
1683 – Nasce em Aytré, subúrbio de La Rochelle, França, a 13 de março, Jean-Theophile
Desaguilliers, um dos ideólogos da Maçonaria Moderna que será fundada em 1717. Sua última
presença em Loja aconteceu em 8 de Fevereiro de 1742, e faleceu dois anos depois, em 29 de
Fevereiro de 1744, em Londres.
1688 – John Locke, pioneiro do iluminismo, publica “Tratados sobre o Governo” e, no ano
seguinte “Sobre a Tolerância”. Suas obras moldam o pensamento político liberal inglês.
1689 – Após sua capitulação, o Rei Jaques II Stuart, se refugia no castelo de Saint-Germainem-
Laye, França. Surgem Lojas jacobinas3 de alinhamento católico e stuartista4 em território
francês.
3 Jacobinos: clube político revolucionário fundado em Paris em 1789, partidários da democracia. Os partidários de
Jaime II, na Inglaterra, depois da revolução de 1688, eram denominados jacobitas.
4 A Casa Stuart era católica.
1693 – Carta da Loja de York reproduzindo as Antigas Cartas mantém expressamente a
obrigação de ser fiel a Deus e a Santa Igreja, como prova de que a Maçonaria inglesa continuava
católica ainda sob a monarquia protestante de Guilherme III de Orange.
1694 – Admite-se que o Rei Guilherme III da Inglaterra foi iniciado neste ano e, presidida por
ele, realiza-se uma Assembléia em Hampton Court, publicando-se novos Estatutos. O artigo 1º pede
que “Vosso primeiro dever é serdes fiel a Deus e evitardes todas as heresias que não o
reconhecerem” não falando mais de fidelidade à Santa Igreja.
1703 – A Loja São Paulo, de Londres (depois Loja Antiquiti Nº 2), adotou o seguinte acordo:
“Os privilégios da Maçonaria não serão, doravante, patrimônio exclusivo dos maçons construtores;
qualquer outra pessoa, de qualquer outra profissão, terá direito de optar por esses privilégios sempre
que seja regularmente aprovada e iniciada na Ordem”. Este acordo foi incorporado por Anderson na
Constituição de 1723.
1707 – A dieta imperial de Ratisbona elimina a conexão das Lojas da Alemanha com a Loja
de Estrasburgo visto que esta cidade havia sido anexada pela França.
1710 – Nasce Martinez de Pasqually, em Grenoble.
1714 – Primeiras atas preservadas da Grande Loja de York.
1717 – Fundação em 24 de junho da Grande Loja da Inglaterra, em Londres, de alinhamento
protestante e orangista5, rivais dos Stuarts6. Seu primeiro Grão Mestre foi Anthony Sayer. Um ano
antes, com a morte do Conde Radcliffe e o afastamento de Sir Christopher Wren, as Lojas de
Londres estavam convencidas da necessidade de eleger um Grão Mestre que pudesse assegurar a
união das Lojas. O projeto definitivo teve início em fevereiro de 1717 e foi concluído em 24 de
junho do mesmo ano com a instalação da Grande Loja de Londres. Das doze Lojas existentes em
Londres apenas quatro acreditaram no projeto inicialmente e somente em 1738 o conceito de
Grande Loja e de Grão Mestre passou a fazer sentido para todos pois antes disso uma Grande Loja
tinha função apenas temporária e era instalada “pro-tempore” apenas no período dos debates no
transcurso das reuniões (dietas ou conclaves) periódicas.
1717 – A Grande Loja oficializa seu sistema de reuniões que, com o tempo, passou a englobar
seis práticas semelhantes entre si, vindo sua prática na Inglaterra sofrer alterações quando da
unificação em 1813.
1718 – George Payne é eleito o 2º Grão Mestre da Grande Loja da Inglaterra. No mesmo ano
determina a reunião de documentos antigos da Maçonaria e suas primitivas Constituições com o fito
de elaborar uma Constituição atualizada para a Grande Loja.
1719 – Jean-Theophile Desaguilliers, amigo de Isaac Newton, é eleito o 3º Grão Mestre da
Grande Loja de Londres. Sua família emigrou da França para a Inglaterra em função das
perseguições religiosas, razão pela qual tanto se bateu para incluir nos princípios fundamentais da
Grande Loja dos Modernos a tolerância religiosa e política. No ano seguinte ele determina a queima
dos antigos manuscritos, para que não caíssem em mão erradas. Sua atitude – ainda quem bem
intencionada – causou um grande mal para a história da Maçonaria com conseqüências que se
refletem até hoje.
1720 – George Payne é eleito novamente Grão Mestre e nomeia James Anderson (1680 a
1739) e uma equipe que se compõem, entre outros, de Desagulliers, para darem o formato final na
Constituição dos Maçons.
1721 – Manoel Swedenborg cria um rito composto de oito graus que foi conhecido como Rito
de Swedenborg, o qual se propagou pela Alemanha, Inglaterra, França e América. Em 1783 seu rito
5 A Casa de Orange era protestante.
6 Católicos.
foi reformado em Paris pelo barão de Thomé que reduziu seus graus em busca de uma Maçonaria
mais pura. Deu origem a diversos ritos.
1721 – O segundo Grão Mestre George Payne, de brilhante atuação, reunindo antigos
documentos, institui o primeiro regulamento da moderna Maçonaria Especulativa o qual foi
aprovado no ano seguinte, mediante algumas alterações, sob a denominação de Constituição dos
Maçons, publicada em 1723.
1721 – Assume o Grão Mestrado inglês o primeiro Grão Mestre nobre, Duque de Montague.
1722 – Robert Sambler, autor de um tratado hermético intitulado “Long Livers”, publicado
sob o pseudônimo de Eugenius Philalethes Junior, pela primeira vez comenta a existência de graus
superiores aos simbólicos na Maçonaria.
1722 – O Duque de Warton é eleito o 4º Grão Mestre da Grande Loja e logo depois é acusado
de conspiração contra o trono, resultando em sua degradação.
1723 – Publicação do Livro das Constituições, ou Constituição dos Maçons, organizado por
Anderson e sua equipe, na qual se pretendia agrupar todos os antigos costumes, obrigações e a
legislação relacionada à arte da Maçonaria. A partir de 1738, com a segunda edição das
Constituições, também tiveram início às deturpações, perpetuadas e ampliadas nas edições de 1756,
1767 e 1784. Em 1813, quando as duas Grandes Lojas (dos Antigos e dos Modernos) se fundiram
na Inglaterra, as Constituições de Anderson foram finalmente abandonadas em favor de uma nova
legislação adotada em 1815. As alterações que tiveram início em 1738 foram se aprofundando cada
vez mais até 1813 e os aspectos relacionados a tolerância de crença foram abandonados e a Bíblia
acabou adotada como Livro da Lei.
1723 – The Flying Post de Londres publica o livro Mason’s Examination, no qual são feitas
referências ao Grau Royal Arch (Arco Real).
1724 – Fundada as Grandes Lojas de Frankfurt-sur-Main, de Connecticut, de Münster e de
Viena.
1725 – Fundação da Grande Loja da Irlanda.
1725 – Realizado no dia 12 de maio o primeiro registro de uma exaltação. Trata-se de
Francesco Geminiani (1687-1762), feito Companheiro e Mestre nesse dia. Naturalmente a prática
da exaltação à Mestre não teve início nesse dia e parece remontar ao período de construção da
Igreja de Rosslyn na Escócia.
1726 – Instalação oficial da Maçonaria Moderna na França, pelo Lorde Derwentwater, no
Louis D’argent, rua dês Boucheries, bairro de Saint-Germain-des-Prés.
1727 – A Loja Swan and Rummer de Londres, promove no dia 29 de abril uma sessão de
Mestres. Historicamente registrada é a primeira sessão nesse grau.
1728 – O duque de Wharton, antigo Grão Mestre da Grande Loja de Londres, assume a
direção da Maçonaria na França. Mais tarde converteu-se ao catolicismo, morrendo quase
transtornado num convento na Espanha em 1773 com 35 anos de idade.
1728 – Em 27 de dezembro a Grande Loja da Irlanda estabelece 10 regras fundamentais, entre
elas a emissão de um certificado que sirva de identificação para os maçons de sua jurisdição.
1728 – Fundação da primeira Loja Militar estacionária, em Gibraltar, da jurisdição da Grande
Loja da Inglaterra.
1730 – Nascimento de J. B. Willermoz, em 10 de julho.
1730 – Nasce em Metz o Barão Théodore Henry de Tschoudy, criador de diversos Altos
Graus ainda praticados em muitos ritos (entre eles os Eleitos e o Cavaleiro da Águia Negra). O
Barão faleceu em Paris em 1769.
1730 – Publicada a revelação de Samuel Prichard: “Masonry Dissected” no mês de outubro.
1730 – A Maçonaria instala-se nos Estados Unidos da América do Norte.
1730 – Instalação dos Capítulos Irlandeses pelo Grande Capítulo de Dublin, os quais caíram
em desuso com a constituição dos Capítulos Escoceses.
1730 – O Cavaleiro André Miguel de Ramsay (1681-1743) é iniciado.
1730 – O Daily Journal de Londres noticia que a Maçonaria é uma nova versão do
rosacrucianismo.
1731 – A Grande Loja da Inglaterra (1717) adota o uso de colares em tecido branco com a jóia
do cargo pendente para identificar os Veneráveis e Vigilantes. No mesmo ano é adotada a barra
colorida nos aventais.
1731 – Em 14 de maio o duque de Lorraine (depois imperador da Áustria) é iniciado na
Maçonaria em La Haye.
1731 – Fundada a Grande Loja da Itália.
1732 – A Grande Loja da Irlanda concede patente a uma Loja Militar itinerante, ao Oriente do
Primeiro Regimento Real. A idéia de uma Carta Constitutiva ambulante se propaga para a
Alemanha (1739), Escócia (1743), Inglaterra, França (1744) e, mais tarde, pelas potências norteamericanas.
O declínio das Lojas Militares inicia em 1815 quando Napoleão desembarca em
Cannes. Em 1845 o Império Francês proíbe a Maçonaria Militar.
1732 – Iniciado no dia 17 de abril o primeiro deficiente físico, contrariando os antigos
costumes. Trata-se de George Skinner, iniciado em Enfield, Inglaterra, sendo cego de nascença. A
justificativa dizia que seu defeito físico não o impedia de aprender e praticar as doutrinas da
maçonaria especulativa.
1733 – Primeiro registro de que o Painel deve ser desenhado em uma tela.
1735 – A Maçonaria instala-se em Portugal e Holanda.
1735 – O duque de Richmond funda em Paris, no hotel de Bussy, a Loja de Aubigni, de
alinhamento protestante e orangista.
1735 – A Maçonaria é proibida na Prússia e Holanda.
1735 – A Maçonaria instala-se na Suécia.
1735 – Os maçons franceses solicitam a 27 de dezembro autorização para criar a Grande Loja
Provincial da França o que a Grande Loja da Inglaterra não via com bons olhos; a fundação se deu a
24 de junho de 1736. Depois a Grande Loja Provincial tornou-se Grande Loja Inglesa da França, da
qual foi Grão Mestre o 5º baronete de Duart, Sir James Hector Maclean (jacobita). Sob o Grão
Mestrado de Charles Redcliffe, Conde de Derwentwater, adotou o nome de Grande Loja da França
em 1756, tornando-se independente da Inglaterra em 1758. Em 1772 adota a denominação de
Grande Oriente da França.
1736 – Em 29 de novembro é fundada em Edimburgo a Grande Loja de São João.
1736 – Instalação da Grande Loja da Escócia; eleito primeiro Grão Mestre Sir William
Sinclair, retomando, assim, os direitos ancestrais de sua família ao Grão-mestrado da Escócia.
1737 – A Maçonaria instala-se na Alemanha.
1737 – Discurso do Cavaleiro Miguel de Ramsay (previsto para o dia 21 de maio, mas não
autorizado pelo 1º ministro do rei, CardealFleury), em que o autor vincula o surgimento da
Maçonaria às Cruzadas e as Ordens de Cavalaria, atraindo com isso o interesse dos nobres franceses
e propiciando o surgimento dos Altos Graus e os ideais cavalheirescos na Ordem.
1737 – A 10 de setembro, o Cardeal Fleury ordena a invasão do local onde é efetuada uma
reunião maçônica e condena o dono do local, o comerciante Chapelot, a pagar uma multa de 10.000
francos e ao fechamento de seu comércio. A mesma sentença proíbe, ao mesmo tempo, as
Associações e, em especial, as maçônicas.
1737 – O Príncipe de Gales, que mais tarde governaria Inglaterra como George II é iniciado
por Desaguliers no Castelo de Kew, Richmond. Ele foi o primeiro maçom da Casa Real inglesa.
1738 – Reedição, atualizada, da Constituição compilada por Anderson, constando, agora, o 3º
Grau. É a partir dessa reforma que a Grande Loja da Inglaterra dá inicio ao seu afastamento da
irrestrita tolerância religiosa, inclinando-se cada vez mais para a atual posição.
1738 – O Papa Clemente XII, em 4 de maio, edita a bula “In Eminenti Apostolatus Specula”,
condenando os Maçons.
1738 – O duque d’Antin assume o Grão Mestrado na França (1738 a 1743).
1738 – O Rei Frederico é iniciado maçom, elevado a Companheiro e exaltado a Mestre na
mesma noite de 14 de agosto, em Brunswick.
1738 – O Rei da Suécia proíbe a Maçonaria em seus territórios.
1738 – Um édito do Inquisidor Geral proíbe a maçonaria na Espanha em 11 de outubro.
1739 – A Maçonaria instala-se na República Dominicana, Jamaica.
1739 – Morre em Londres o Reverendo James Anderson. Seu esquife foi conduzido por
Desaguliers, cinco sacerdotes dissidentes (Anderson também era dissidente) e um grupo de dez
Irmãos, os quais, a beira do seu túmulo o reverenciaram com a antiga saudação dos mestres.
1739 – Criado na Silésia o Rito da Congregação dos Irmãos Moravos, sendo uma das
primeiras inovações maçônicas, de cunho evangélico e dedicado a divulgar o Evangelho cristão em
forma maçônica.
1740 – Termina a proibição à maçonaria na Suécia.
1740 – Criado o Rito de Perfeição, também conhecido como Rito de Héredom ou Rito da Loja
de Kilwinning, rito esse que é a fonte do Rito Escocês Antigo e Aceito, criado somente em 1801 em
Charleston, USA; assim como foi base de pesquisa para a elaboração dos Altos Graus dos Ritos
Moderno e Adonhiramita.
1741 – Iniciação maçônica do Barão de Hund (1722 a 1776) em uma Loja de Frankfurt-on-
Main em 20 de março. O Barão é o criador do Rito da Estrita Observância de influência templária.
1742 – Criado em Paris o Rito Escocês Retificado. É dividido em 3 séries: a primeira tem 3
graus, a segunda também tem 3 graus e a terceira tem duas prefeituras. É chamado Retificado para
indicar sua não aceitação de conteúdos de Alquimia, Cabala e Templários nos Altos Graus.
1742 – O abade Perrau publica sua revelação “L’orde dês franc-maçons trahi, et leur secret
révéle” em Amsterdã.
1743 – É instalado em Lyon o primeiro Capítulo de Cavaleiros Kadosch, sob o título de
Pequeno Eleito.
1743 – Primeira menção pública do Rito do
Real Arco ou Rito de York.
1743 – Nascimento de Louis-Claude de Saint-
Martin em Amboise. Saint-Martin foi discípulo de
Pasqually e ficou conhecido como o “Filósofo
Desconhecido”. Cagliostro, criador do Rito Egípcio e
vítima da “Santa” Inquisição, teria nascido nesse
mesmo ano.
1743 – 1771 – Grão Mestrado de Louis de
Borbon-Condé, o Conde de Clermont, neto de Luiz
XIV. O Conde de Clermont não tinha interesse em
maçonaria, permitindo assim que se formassem
dissensões e desacordos de toda a natureza, conduzindo a Maçonaria da França ao caos.
1744 – Louis Travenol (ou Leonard Gabanon) publica seu “Catecismo dos Maçons ou o
Segredo dos Maçons.”
1744 – O papa Bento XIV condena a Maçonaria.
1744 – Em 29 de fevereiro morreu John Theophilus Desagulhers, possivelmente o homem que
diretamente mais influenciou na transformação da Maçonaria no sentido de adotar o formato atual.
Ainda que a Constituição de 1723 tenha ficado conhecida como “de Anderson”, foi Desagulhers seu
maior mentor, especialmente no que se refere aos aspectos de tolerância, vítima que foi da
perseguição religiosa. Foi Grão Mestre da primeira Grande Loja da Inglaterra, permanecendo como
um de seus principais lideres até sua morte.
1745 – Publicado em Estrasburgo um folheto intitulado “O Maçom desmascarado e todos
seus segredos revelados”, denunciando que a Estrita Observância Templária era um rito jesuíta
manipulado pela Igreja Católica de Roma.
1745 – A Maçonaria instala-se na Dinamarca.
1747 – Instalado em Arras, França, por concessão de Carlos Eduardo Stuart, um Capítulo de
Cavaleiro Rosa-Cruz.
1747 – Primeiro reconhecimento de uma Loja Militar em trânsito, pela Grande Loja da
Escócia.
1748 – O Sultão da Turquia proíbe a Maçonaria sob a alegação de tratar-se de uma seita
religiosa.
1748 – Criado o Rito dos Fiéis Escoceses pelos maçons de Toulouse, França, constituído de 9
graus em 3 capítulos; desapareceu em 1812.
1749 – A Maçonaria instala-se no Haiti.
1750 – Iniciação de Willermoz, em Lyon.
1750 – Criado em Marselha, o Rito Escocês Filosófico da Loja Mater Escocesa, cuja principal
Oficina foi a Loja de São João da Escócia.
1751 – Kloos publica seu “Tratado Histórico sobre Maçonaria”, onde cita um manuscrito que
faz referência a que a origem da Maçonaria teria sido nas Cruzadas, listando além dos graus de
Aprendiz, Companheiro e Mestre os seguintes: Mestre Perfeito ou Arquiteto Irlandês; Mestre
Eleito; Aprendiz Escocês; Companheiro Escocês; Mestre Escocês e Cavaleiro do Oriente.
1751 – Benedito XIV edita a 28 de maio a bula “Providas Romanorum Pontificum”.
1751 – Fernando VI, rei da Espanha, baseado na bola papal decreta a pena de morte para os
maçons, valendo sua lei para a Espanha e a América Espanhola.
1751 – Maçons conservadores, muitos deles Operativos, insatisfeitos com as alterações que a
primeira Grande Loja (fundada em 1717) estava produzindo na Maçonaria, fundam a Grande Loja
dos Antigos Maçons, cujo nome correto é Grande Comissão da Mui Antiga e Ilustre Fraternidade
de Maçons Livres e Aceitos de Acordo com as Antigas Constituições 7, em York, denominando aos
de 1717 de “modernos” em sentido pejorativo. Os Antigos se mantiveram fazendo oposição até
1813 quando ouve a fusão, dando origem a Grande Loja Unida da Inglaterra e a mais uma reforma
nas práticas e princípios da maçonaria inglesa, tornando-a ainda mais intolerante em relação a
democracia maçônica francesa.
1751 – O Barão de Hond funda a Estrita Observância de linha templária.
1751 – O Jesuíta José Torrubia com autorização do papa é iniciado na Maçonaria da Espanha
com a finalidade de denunciar os nomes dos maçons para a Inquisição.
1752 – Criação da potência denominada: Soberano Conselho da Sublime Loja dos Excelentes
do Grande Globo Francês, que em 1772 fundiu-se com a Grande Loja Nacional da França.
1752 – George Washinton iniciado na Maçonaria em Frederiscksburg, na Loja
Frederiscksburg (essa Loja foi reconhecida em 1758 pela Grande Loja da Escócia).
7 The Grand Commitee of the Most Ancient and Honourable Fraternity of Free and Accepted Masons According to the
Old Institutions.
1753 – Dermontt, o líder da Grande Loja dos Antigos (de 1751), publica o famoso Ahiman
Rezon, obra em que critica a Grande Loja de 1717 e orienta sobre os antigos costumes maçônicos.
1754 – Martinez de Pasqually funda o Rito dos Ellus Cohens (Sacerdotes Eleitos), de efêmera
duração.
1754 – No dia 24 de novembro é fundado em Paris o Capítulo de Clermont, sob direção de
Nicolas Bonevile, fonte de diversos Altos Graus. A fundação se deu no “Hotel des Stuarts”,
Faubourg Poissonière, e um de seus fundadores é o Cavaleiro de Bonneville e contem em sua
estrutura o Grande Oriente de Bouillon.
1756 – Criado na Prússia o Grau dos Cavaleiros Prussianos ou Cavaleiros Noachitas, com
base na antiga e extinta Ordem dos Cavaleiros Teutônicos. Se diziam descendentes de Noé.
1756 – Fundada em 1736, a Grande Loja Inglesa da França adota o nome distintivo de Grande
Loja da França, agora independente da Inglaterra. Em 1773 altera seu nome distintivo para Grande
Oriente da França.
1758 – A Grande Loja da França se torna completamente independente da Grande Loja da
Inglaterra.
1758 – É criado em Paris o Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente, adotando o
Rito de Héredom (ou Rito de Perfeição) com 25 graus, e seus membros são denominados Soberanos
Príncipes Maçons. Pirlet e Tschoudy fazem parte do Conselho. Temos aqui outra fonte dos graus do
Rito Escocês Antigo e Aceito, Adonhiramita e Moderno.
1758 – A Grande Loja da França promove uma revisão de seus ritos, com respaldo do
Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente, o que resulta em abalo ao domínio dos ritos de
Clermont e Héredon.
1759 – A Grande Loja da Inglaterra decreta que a Bíblia (e não mais o livro de constituições)
é uma das Grandes Luzes da Maçonaria.
1759 – O marques de Pombal obtém a expulsão dos Jesuítas de Portugal e Brasil.
1761 – Em meio a um caótico ambiente de deturpações em que se havia transformado os
diversos ritos praticados na Maçonaria da França, é criado o Rito Moderno ou Francês8, após longa
pesquisa em busca das práticas originais da pura Maçonaria.
1761 – Étienne Morin recebe autorização para levar para a América o Rito de Héredom.
Morin transforma sua autorização num negócio lucrativo, mas, sua missão, transforma-se na base da
criação do REAA em 1801.
1762 – Um grupo de maçons liderados por Pirlet, discordando dos encaminhamentos do
Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente, fundam em 22 de junho o Soberano Conselho
dos Cavaleiros do Oriente.
1762 – Constituições de Bordeaux regulamentando os 25 graus do Rito de Héredom. Durante
muito tempo se afirmou que a suposta reunião em Bordeaux, que teria adotado uma suposta
“Constituição de Bordéus” e que seria a fonte primeira do Rito Escocês Antigo e Aceito, o que não
é um fato, já que o REAA foi efetivamente fundado em 1801.
1762 – A Maçonaria instala-se em Cuba.
1764 – Instala-se o Rito da Estrita Observância Templária, na Alemanha liderado por Charles
Gotthelf, Barão de Hund (iniciado em 1742 em Frankfurt-am-Main). Eles acreditavam descender
diretamente dos Templários e praticavam uma Maçonaria Mística, razão de sua condenação.
Influenciou diversos ritos ainda praticados em nossos dias e alguns dos Altos Graus ainda
praticados receberam influência desse rito, especialmente os graus templários.
1765 – A Maçonaria instala-se na Bélgica.
8 A Simbólica Maçônica – pg. 221– Jules Boucher – Ed. Pensamento.
1766 – O barão de Tschoudy publica “A Estrela Flamejante” em que sugere a criação do Rito
da Estrela Flamejante. Alguns graus ali constantes foram adotados em diversos ritos.
1766 – Graves distúrbios na festa de São João de 27 de dezembro na Grande Loja da França,
resultando em intervenção policial e suspensão das reuniões maçônicas pela autoridade do estado.
1767 – Frederico, o Grande, da Prússia, funda no local de reunião da Constantinople Lodge,
em Berlim, a Ordem dos Arquitetos da África (Africanischen Bauherren).
1767 – Criado por Irmãos da Silésia e de Berlim, Alemanha, o Rito da Crata Repoa, uma
discidência da Estrita Observância Templária.
1767 – Em virtude de brigas que deram origem a escândalos públicos, o governo francês
proíbe as reuniões da Grande Loja da França.
1768 – Iniciação de Louis Claude de Saint-Martin por Martinez de Pasqually.
1769 – A Rosa+Cruz é proibida na Áustria, buscando refúgio na Maçonaria. Estudiosos
(como Castellani, p.ex.) acreditam ser essa a origem do grau rosa-cruz na Maçonaria.
1771 – Com a morte do Conde de Clermont, assume o Grão Mestrado o Duque de Chartres.
1771 – A Maçonaria instala-se na Rússia e no México.
1771 – Adam Weishaupt funda em Ingoldstadt uma Ordem denominada Die Wissenden, Os
Iluminados, ou simplesmente Illuminati, também conhecidos como Iluminados da Baviera.
1772 – Em 9 de agosto fundem-se o Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente e o
Soberano Conselho e Loja-Mãe da Grande Loja da França que adota o nome distintivo de Grande
Oriente da França. Uma comissão de oito membros é constituída para tratar da reforma
administrativa da Ordem na França, do estatuto e reorganização dos Altos Graus. Em 24 de
dezembro, quando a Grande Loja Nacional da França, reunida em Assembléia Geral, resolveu
adotar, entre outras alterações, a nova denominação, funda-se oficialmente o Grande Oriente da
França.
1772 – Em 24 de dezembro o Rito Moderno ou Francês é constituído.
1773 – Em 09 de março o Rito Moderno ou Francês é proclamado como o Rito Oficial do
Grande Oriente da França e, desde então, todos os Grandes Orientes legítimos criados no mundo
adotam o Rito Moderno como seu rito oficial (da mesma forma que as Grandes Lojas adotam o
sistema inglês denominado no Brasil de Rito de York). O Rito Moderno é, portanto o sistema
correto de reunião de todo Grande Oriente em todos os seus Poderes (Executivo, Legislativo e
Judiciário) e Lojas, tolerando, naturalmente, outros ritos com que formalize tratados.
1773 – A Maçonaria instala-se na Suíça.
1773 – Foi criado na Loja Os Amigos Reunidos o Rito dos Filaletes, baseado na filosofia de
Saint Martin.
1773 – Fundação de uma Loja em Coimbra que iniciou diversos brasileiros.
1774 – A Estrita Observância Templária é introduzida na França.
1774 – Em 27 de dezembro o Grande Oriente da França adota a denominação “Ordem
Maçônica” em substituição a denominação tradicional “Ordem Real”, considerada elitista.
1774 – O Grande Oriente da França reconhece o Rito de Adoção, dedicado à prática maçônica
pelas esposas e filhas de maçons. Os Veneráveis das Lojas de Adoção sempre eram maçons da Loja
regular na qual a Loja de Adoção devia estar filiada.
1774 – Pela primeira vez circula um documento com abreviações e o uso de três pontos,
tratava-se de uma circular do Grande Oriente da França.
1776 – O médico Boileau cria em Paris o Rito Escocês Filosófico com 16 graus.
1776 – Adam Weishaupt, ex-jesuíta e professor de direito na Universidade de Ingolstadt, na
Bavária, funda a sociedade secreta “Iluminados da Bavária”.
1776 – Os Diretórios Escoceses firmam acordo com o Grande Oriente da França e suas Lojas
são absorvidas.
1776 – Inaugurado o primeiro Templo Maçônico do mundo em Londres, trata-se do famoso
Freemason’s Hall.
1776 – Pernety cria os Iluminados de Avinhão, baseado nas doutrinas de Swedenborg.
1776 – As diversas obediências que não haviam se unido a Grande Loja Inglesa da França, se
unem com o Grande Oriente da França sem perder a autoridade sobre os ritos que praticavam. A
Grande Loja da Inglaterra na França, agora Grande Loja da França, é insipiente.
1777 – Possivelmente a primeira Loja Operativa da Europa, a Loja de Estrasburgo, foi sem
dúvida à última Loja Operativa a encerrar atividades, desaparecendo com ela a Maçonaria
Operativa.
1777 – A Grande Loja de Londres adota o Real Arco, que já
era praticado pelos Antigos desde sua fundação.
1777 – O Grande Oriente da França decreta que a idade
mínima para a iniciação será 21 anos; Companheiro 23 anos e
Mestre 25 anos.
1777 – Em 03 de julho o Grande Oriente da França adota o
costume da Palavra Semestral.
1777 – Criação do Rito dos Irmãos da Rosa-Cruz de Ouro, na
Alemanha, de origem nebulosa; alegavam ser a autêntica Rosa-Cruz
e possuíam nove graus (Zelator, Teórico, Pratico, Filósofo, Adepto
Júnior, Adepto Sênior, Adepto Isento, Mestre do Templo e Mago);
logo foram contaminados pelos Jesuítas que os utilizaram como meio de opressão contra a liberdade
de pensamento. Foi dissolvido em 1798.
1778 – Iniciação de Voltaire na Loja Nove Irmãs, em Paris, no dia 07 de abril. O Venerável
era Jerônimo Lalande e os padrinhos Benjamin Franklin e Court de Gebelin.
1778 – Em 28 de novembro Franklin dirige a sessão de pompas fúnebres para Voltaire na Loja
Les Neuf Soers.
1778 – Jean Babtiste Willermoz promove a Assembléia das Gálias em Lyon, oportunidade em
que a Estrita Observância adota o título distintivo de “Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa”.
1778 – Criado em Montpellier o Rito da Academia dos Verdadeiros Maçons, fonte principal
dos ritos herméticos posteriores. Era dedicado ao estudo do hermetismo.
1778 – Fundação do Grande Oriente da Île de France. Essa potência regulariza a Loja Reunião
do Rio de Janeiro em 1802.
1779 – O Parlamento inglês aprova lei proibindo sociedades secretas sediciosas ou dedicadas
a alta traição do estado; um dos artigos excetua especificamente os Maçons.
1780 – Grant, barão de Baerflindy, funda na França o Rito da Academia dos Sublimes Mestres
do Anel Luminoso; era dedicado a reviver a Escola Pitagórica, e suas instruções versavam sobre
física, geometria, astronomia e simbolismo.
1780 – Iniciação de Goethe na Loja Amália de Weimar.
1780 – O marquês de Chefdebien funda em Narbone o Rito Primitivo.
1781 – A 25 de fevereiro nasce José Maria Ragon, célebre escritor maçônico, iniciado em
Beruges (Lys) em 1805. Autor do Curso Filosófico e Interpretativo dos Iniciados Antigos e
Modernos, A Missa e seus Mistérios Comparados com os Mistérios Antigos, A Maçonaria Oculta,
Ortodoxia, e outros.
1781 – O Príncipe Carlos cria o Rito Sueco, influenciado pelas doutrinas de Emmanuel
Swedenborg (1688-1772), filósofo místico sueco.
1782 – Fundado em Paris o Rito da Harmonia Universal, baseado nas teorias de Mesmer.
1782 – O Grande Oriente da França cria a Câmara dos Ritos a fim de compor um rito que
reunisse todo o conhecimento maçônico em poucos graus.
1782 – A Assembléia da Estrita Observância Templária, realizada em Wilhemsbad, rejeita sua
alegada origem templária. Suas decisões foram da maior importância, especialmente para o Rito
Escocês Retificado.
1782 – Criado na França o Rito dos Cavaleiros Humanitários, foi um rito jesuítico baseado na
doutrina martinista.
1784 – A Maçonaria instala-se no Paraguai.
1784 – O Grande Oriente da Polônia adota o Rito Helvético, baseado no Rito dos Cavaleiros
da Cidade Santa, que surgiram da reforma da Estrita Observância Templária.
1785 – Fundação do Capítulo Metropolitano da França pela unificação do Grande Capítulo
Geral da França e do Grande Capítulo Rosa-Cruz da França.
1785 – Bérage traduz um artigo alemão sobre os Cavaleiros Noachitas, dando origem a mais
um grau maçônico.
1785 – Supressão dos Illuminati bávaros que, nesse período, já estavam infiltrados entre
rosacruzes, maçons, cabalistas e outros movimentos místicos com suas idéias de uma “Revolução
Mundial”.
1786 – Mediante proposta da Câmara dos Ritos (criada em 1782) o Grande Oriente da França
adota a proposta da prática do Rito Moderno ou Francês organizado em 7 graus.
1786 – Por muitos anos se acreditou que em 1º de maio teria sido promulgadas por Frederico
II da Prússia, em Berlim, as Constituições regulamentando os 33 graus do REAA, o que se revelou
uma fraude; o REAA foi efetivamente fundado em 1801.
1787 – Primeira publicação da Compilação Preciosa da Maçonaria Adonhiramita. Alguns
autores afirmam que esse é o verdadeiro ano de fundação do Rito Adonhiramita.
1789 – A 12 de agosto é proclamada a Declaração dos Direitos do Homem, na França.
1789 – A Maçonaria instala-se na Venezuela.
1789 – O Grande Oriente da França possui 900 Lojas em sua jurisdição. Com a Revolução
Francesa e seu “reinado do terror” apenas três dessas Lojas tiveram coragem suficiente para
continuar se reunindo até o fim da revolução. Lojas que se declararam favoráveis ao rei foram
sumariamente fechadas e seus integrantes guilhotinados.
1791 – A Grande Loja da França é dissolvida.
1791 – A Convenção reconhece os direitos civis dos judeus em pé de igualdade dos cristãos
na França.
1793 – Em 18 de setembro, o presidente norte americano George Washington, em solenidade
pública, preside a cerimônia de dedicação do Capitólio usando seu avental maçônico.
1793 – Na França, em 05 de janeiro, o Duque Felipe de Orleans, demite-se do Grão-Mestrado
do Grande Oriente da França; em fevereiro escreve no Jornal de Paris um ártico em que ataca a
Maçonaria; em maio o Grande Oriente o exclui por traição e em novembro o Duque é guilhotinado
pelo Terror.
1794 – A Maçonaria instala-se na Colômbia.
1794 – Franz II, imperador da Áustria, proíbe a Maçonaria em seu território e manda fechar
todas as Lojas.
1795 – Inaugurado um hospital para mulheres em Hamburgo, patrocinado pela Maçonaria.
1795 – Diz à lenda que Napoleão Bonaparte, enquanto Cônsul, foi iniciado no Egito. Nenhum
documento sustenta o fato. Sabe-se que seu Irmão Jerônimo teria sido iniciado, e que dos 25
marechais que formavam seu círculo de comando, 10 efetivamente eram maçons: Angerau,
Bernardotte, Berthier, Massena, Kellermann, Marmont, Marat, Ney, Oudinot e MacDonald.
1796 – É fundado em Pernambuco o famoso “Areópago de Itambé”, constituído por diversos
maçons. O Areópago teria sido o germe das Lojas brasileiras. Ainda que não se tenha como provar
a tese, ela é aceita pela maioria dos historiadores. O fato é que outras academias semelhantes
existiram antes.
1796 – Surge na Alemanha o Rito dos Irmãos Rosa-Cruz, composto basicamente por
intelectuais humanistas, destaques em seu tempo; estudavam assuntos esotéricos: forças mentais,
astrologia, magnetismo, cabala, e outros temas do gênero.
1796 – Ano provável das primeiras Lojas no Brasil instaladas na Bahia e Pernambuco.
1796 – Após o Terror na França, o Grande Oriente volta a se reunir rudimentarmente e elege o
Irmão Röttiers de Montaleau para seu Grão Mestre.
1797 – É fundada em Salvador, Bahia, a 14 de julho por tripulantes da fragata francesa La
Preneuse, comandados pelo Capitão Larcher, a mais famosa das primeiras Lojas brasileiras,
“Cavaleiros da Luz”, sob os auspícios do Grande Oriente da França e trabalhando no Rito Moderno.
1797 – Na América do Norte é instalado o primeiro alto corpo da América, trata-se de um
Capítulo de Príncipes do Real Segredo do Rito de Héredom, germe do Rito Escocês que será
fundado em 1801.
1797 – O Irmão Francisco de Miranda, patriota venezuelano, funda em Londres a Loja Grande
Reunião Americana que cumpriu a missão de doutrinar entre os sul-americanos a idéia de separação
e independência administrativa das colônias.
1798 – Publicação de mais um livro antimaçônico: “Mémoires pour servir à l’histoire du
jacobinisme”, por Barruel.
1799 – É encontrada a “Pedra de Rosetta”, o que permite decifrar os hieróglifos egípcios.
1799 – Em 12 de março, o grande brasileiro Hipólito José da Costa Pereira Furtado de
Mendonça (nasceu na antiga Colônia de Sacramento em 25 de Março de 1774 e morreu em 11 de
Setembro de 1823 em Hurley, Berkshire, Inglaterra) foi iniciado na Loja George Washington No
59, EEUU.
1799 – Em 21 de maio o Grande Oriente da França, mediante tratado de unificação, retoma
todos os poderes da antiga Grande Loja da França (de Clermont). Algumas Lojas escocesas não
participaram da união, entre as quais a Loja-mãe escocesa da França sob o título distintivo de Santo
Alexandre da Escócia no Oriente de Paris.
1800 – Ano da suposta fundação da Loja União, no Rio de Janeiro, que teria sido visitada pelo
Comandante João Francisco Landolphe. Não existem documentos comprobatórios.
1801 – O Rito Schroeder, ou Alemão, criado por Frederich Ludwig Schroeder (1744 – 1816) a
partir de longa pesquisa a fim de recuperar a legítima ritualística maçônica é apresentado para
exame e aprovação na Loja Emanuel zur Mennheinn, em Hamburgo.
1801 – A Maçonaria instala-se na Argentina.
1801 – Um grupo de maçons cria em Charleston, USA, no paralelo 33, no dia 31 de maio,
oficialmente, o Rito Escocês Antigo e Aceito, baseados no antigo Rito de Perfeição ou Rito de
Héredom, que foi simplificado, tendo acrescido mais oito graus sobre os 25 originais (apenas para
coincidir com o número do paralelo). O novo rito passa a ser coordenado por um Supremo
Conselho, sendo o Supremo Conselho de Charleston o Primaz do Rito Escocês Antigo e Aceito
(REAA).
1801 – É iniciado George Oliver, ideólogo da cristianização da Maçonaria inglesa.
1802 – Fundação da Loja Reunião no Rio de Janeiro (Rito Moderno), regularizada pelo
Grande Oriente da Île de France. Essa Loja seria conseqüência da divisão da Loja União que
crescera demais para o conceito da época.
1802 – Fundação da Loja Virtude e Razão, Salvador, Bahia.
1802 – José Bonifácio é iniciado em Lisboa e elevado ao 6º grau em 1806 pelo Capítulo da
Espada.
1803 – É iniciado na Espanha Simon Bolívar, patriota venezuelano, com apenas 20 anos.
1804 – O conde de Grasse-Tilly funda em Paris um Supremo Conselho do REAA.
1804 – Delegados do Grande Oriente Lusitano tentam aliciar a Loja Reunião, que não aceita a
filiação em virtude da legislação lusitana ser colonialista. O Grande Oriente Lusitano funda no Rio
de Janeiro a Loja Filantropia.
1804 – Criação da Grande Loja Escocesa pelos maçons do REAA.
1804 – O Grande Oriente da França reconhece, mediante tratado, o REAA, autorizando que
suas Lojas pratiquem os graus 4º ao 18º sob orientação do Supremo Conselho do REAA.
1805 – Em 24 de junho a Loja Reunião suspende seus trabalhos.
1805 – O Grande Oriente da França absorve o Supremo Conselho do REAA que volta a ser
independente em 1821.
1805 – O Grande Oriente da França cria o Grande Colégio de Ritos.
1806 – O Vice Rei do Brasil, Dom Marcos de Noronha e Brito, 8º Conde dos Arcos, proíbe a
Maçonaria no Brasil.
1807 – Fundação da Loja Virtude e Razão Restaurada, Salvador, Bahia.
1808 – A família real transfere a sede do reino de Portugal para o Brasil em 12 de janeiro.
1809 – A 12 de abril as duas Grandes Lojas da Inglaterra, Modernos e Antigos, fundam uma
Loja com a finalidade de preparar a unificação que se consolidou em 1813. A Loja Reconciliação
era composta de nove Irmãos de cada Grande Loja e foi eleito o Irmão Samuel Hemming para
Venerável Mestre. Essa Loja trabalhou até 1816 e recebeu inúmeras críticas dos Antigos, e o
projeto só não sucumbiu devido ao fato de que o Grão Mestre dos Antigos era o próprio Rei George
III, Duque de Kent e o Grão Mestre dos Modernos era seu Irmão carnal, o Duque de Sussex.
1809 – Fundação da Loja Regeneração, Olinda, Pernambuco.
1810 – A Maçonaria instala-se no Equador.
1810 – A Grande Loja da Inglaterra sanciona finalmente a cerimônia de Instalação de
Venerável, que a Grande Loja dos Antigos adotara desde sua fundação, sendo a ausência da
cerimônia uma das criticas proferidas pelos Antigos.
1811 – O Irmão Josiah Bowring, pintor de retratos londrino, iniciado na Loja Chichester em
1795, desenvolve um conjunto de painéis para os três graus simbólicos.
1811 – Pronunciamento oficial do Grande Oriente da França criticando como anti-semitismo a
prática das Lojas francesas e estrangeiras impedindo a iniciação de judeus.
1812 – Fundação da Loja Distintiva, Niterói, Rio de Janeiro.
1812 – Um grupo de Irmãos liderados por San Martin, fundam a Loja Lautário para promover
a independência dos povos sul-americanos.
1813 – Unificação das Grandes Lojas rivais da Inglaterra, dando origem a atual Grande Loja
Unida da Inglaterra, sucessora daquela de 1717 (modernos) e sua rival de 1751 (antigos) e
estabelece um rito ou conjunto de sistemas ritualísticos produzido pela unificação dos costumes das
duas Grandes Lojas originais. O maçom brasileiro Hipólito José da Costa, teve participação ativa,
no processo, devido a sua estreita amizade com o Duque de Sussex e foi membro da Loja
Promulgação e da Loja Reconciliação. Recentemente, um grupo ultra-conservador provocou uma
nova cisão na GLUI.
1813 – Fundação da Loja União, Salvador, Bahia.
1813 – Instalação do primeiro Grande Oriente Brasileiro pelas Lojas Virtude e Razão,
Humanidade e União, que foi fechado em 1817 devido à revolução pernambucana que absorveu
seus líderes. Seu primeiro Grão Mestre foi Antônio Carlos Ribeiro de Andrade; participaram da
fundação as Lojas: Virtude e Razão; Humanidade e União.
1814 – A Grande Loja Unida da Inglaterra acaba com a anarquia dos aventais estipulando
como deverão ser confeccionados os aventais, iniciando pelo grau de Aprendiz.
1814 – Instalado em Paris por Lechangeur o Rito de Misraim, ou Egípcio, com 90 graus.
1814 – Fundação da Loja Patriotismo, Recife, Pernambuco.
1815 – A Grande Loja Unida da Inglaterra publica sua nova Constituição que acaba com a
ampla tolerância religiosa observada até então.
1816 – A Maçonaria instala-se no Peru.
1816 – Criado o Rito dos Irmãos Noachitas da França.
1816 – Aprovada pela Grande Loja Unida da Inglaterra a proposta ritualística para os graus
simbólicos elaborada pela Loja Reconciliação que, dando por cumprida sua missão, encerra suas
atividades.
1816 – Fundação da Loja Grande Loja Provincial para o Brasil; contava quatro Lojas.
1816 – Fundação da Loja Pernambuco do Oriente, Recife, Pernambuco.
1816 – Fundação da Loja Restauração, Recife, Pernambuco.
1816 – Fundação da Loja Pernambuco do Ocidente.
1816 – Fundação da Loja Guatimozim.
1816 – Fundação da Loja Comércio e Artes.
1817 – A Maçonaria instala-se no Chile.
1817 – O Grande Oriente da França declara irregular o Rito de Misraim.
1817 – Fundação da Loja Seis de Março.
1818 – Alvará real de 30 de março proibindo a Maçonaria e sociedades secretas no Brasil.
1818 – Fundada em Londres a Loja de Instrução Perseverança para ensinar o novo ritual
adotado no âmbito da Grande Loja Unida da Inglaterra.
1819 – A Maçonaria instala-se em Honduras.
1821 – A Maçonaria instala-se no Panamá.
1821 – O Supremo Conselho retoma sua independência na França e reorganiza o REAA,
criando a Grande Loja Central para o Rito Escocês Antigo e Aceito.
1822 – Criado o Grande Oriente Brasiliano (depois: Grande Oriente do Brasil – GOB) em 17
de junho, que logo adota o Rito Moderno como seu Rito Oficial.
1822 – Logo após a Independência do Brasil, em 29 de outubro, o Imperador e Grão Mestre
do GOB, D. Pedro I, manda suspender temporariamente as atividades do Grande Oriente do Brasil e
de todas as Lojas no território do Império do Brasil.
1823 – John Harris, pintor miniaturista inglês, iniciado em 1818, propõem um conjunto de
painéis para os três graus simbólicos que obtiveram grande sucesso.
1824 – A Maçonaria instala-se em São Salvador.
1825 – O papa Leão XIII lança a Bula Quo Graviora contra a Maçonaria e Carbonários.
1826 – Caso Morgan nos Estados Unidos, orquestrado por crentes contra a Maçonaria.
1827 – A Maçonaria instala-se no Uruguai.
1828 – A Maçonaria instala-se na Nicarágua.
1831 – Em 23 de novembro o Grande Oriente do Brasil é reinstalado, adotando o Rito
Moderno como rito oficial da Potência, o que permanece inalterado até hoje.
1831 – A Maçonaria instala-se na Costa Rica.
1832 – Manifesto dos Maçons brasileiros aos Maçons de todo o mundo.
1832 – O papa Gregório XVI lança a Encíclica Mirare Vos, contra o liberalismo,
especialmente a maçonaria.
1832 – Publicação dos Anais Maçônicos Fluminenses.
1832 – O REAA é introduzido no Brasil.
1835 – Início da Revolução Farroupilha (depois, diante da proclamação da República Rio-
Grandense, passa a ser uma Guerra); foi totalmente planejada pelos integrantes da Loja Philantropia
e Liberdade nº 9, do GOB, ao Oriente de Porto Alegre.
1839 – Marconi e Moutet fundam em Marcelha o Rito de Mênfis ou Rito Oriental.
1839 – O Grande Oriente do Brasil instala o Grande Colégio dos Ritos congregando os Altos
Graus dos ritos então praticados.
1842 – O Grande Oriente do Brasil reorganiza o Grande Colégio dos Ritos.
1842 – Diversas Lojas são fundadas por Irmãos mórmons na América do Norte.
Posteriormente, em 1844, em virtude de um motim popular, onde dirigentes mórmons foram
assassinados em Illinois (ainda que a Maçonaria não tivesse nada com isso), a seita muda para Utah,
onde erguem Salt Lake City e renunciam a sua condição de maçons, passando a ser mais uma
entidade religiosa que até hoje mantém uma posição anti-maçônica e proíbem ligações com a
Maçonaria.
1845 – O Parlamento inglês, composto majoritariamente por maçons, aprova projeto de
apreensão de navios brasileiros que transportem escravos.
1850 – Em 4 de setembro é aprovada a “Lei Eusébio de Queiroz”, proibindo o tráfico negreiro
no Brasil, por autoria do Ministro da Justiça do Brasil, o maçom Euzébio de Queiroz Coutinho
Matoso da Câmara.
1851 – A polícia francesa decreta a interdição da Grande Loja Nacional da França, mas não
interfere no Grande Oriente da França e no Supremo Conselho.
1852 – A última potência independente é absorvida pelo Grande Oriente do Brasil, unificando
a Maçonaria Brasileira.
1855 – O Grande Colégio dos Ritos adota a denominação de Sublime Grande Capítulo dos
Ritos Azuis, o qual foi regulamentado em 1858, tendo funcionado até 1874.
1858 – Os judeus obtém direitos políticos também na Inglaterra.
1859 – Charles Darwin publica sua obra “Origem das Espécies”.
1859 – Carlos Gomes, compositor clássico brasileiro, é iniciado a 24 de junho aos 23 anos, na
Loja Amizade Universal, São Paulo, junto com seu irmão carnal José Pedro Gomes (Juca).
1861 – O Grande Oriente da França recusa o Grão Mestrado do príncipe Murat e nomeia o
príncipe Jerôme Napoleão para o cargo. O príncipe Murat reage e suspende muitos maçons, e a
polícia interfere no Grande Oriente.
1862 – Napoleão III nomeia a dois de janeiro, o marechal Magnan para Grão Mestre do
Grande Oriente da França.
1862 – Em 12 de novembro, o Rito de Memphis é agregado ao Grande Oriente da França.
1863 – Cisão no Grande Oriente do Brasil dando origem ao que ficou conhecido
historicamente como Grande Oriente do Lavradio e Grande Oriente dos Beneditinos, este, liderado
por Saldanha Marinho, teve papel relevante na “Questão Religiosa” e no movimento republicano.
1865 – Morre o marechal Magnan e assume o Grão Mestrado o general Mellinet.
1865 – R. Wentworth Little funda na Inglaterra a “Societas Rosicruciana in Anglia” ligada a
Maçonaria.
1865 – Em 25 de setembro o papa Pio IX condena a Maçonaria.
1867 – É criado pelo Grande Oriente da França o “Comitê Francês de Emancipação” para
obrigar o governo brasileiro a libertar definitivamente os escravos.
1868 – O papa Pio IX volta a condenar a Maçonaria.
1868 – Para quem acredita que a perseguição aos maçons no Brasil foi tênue, comparada com
os países da Europa, é bom saber que a 18 de janeiro os padres de Congonhas do Campo, MG,
negam sepultura ao cadáver de José Teixeira dos Santos, sob alegação de ter sido maçom, e
católicos exaltados da localidade dão tiros no cadáver.
1869 – Dissidentes da Loja Constância, de Sorocaba, Brasil, fundam a Loja Perseverança III,
com a finalidade de lutar pela abolição da escravatura e pela implantação do regime republicano.
1870 – Victor Emanuel, apoiado por maçons e carbonários, completa a unificação da Itália ao
conquistar os principados papais. A situação entre a Igreja e os maçons se deteriora completamente.
No mesmo ano a Igreja adota no Concílio Vaticano I o absurdo dogma da infalibilidade papal.
1871 – A Maçonaria instala-se em Porto Rico.
1871 – Em 28 de setembro é aprovada a “Lei do Ventre Livre”, tornando livres os filhos de
escravos, mais uma vitória maçônica.
1872 – Em 2 de março o discurso do Padre José Luiz de Almeida Martins no qual exalta a
figura do Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil, o Visconde do Rio Branco, Chefe do Conselho
de Ministros do Império, detona a “Questão Relisiosa” por reação de D. Vidal, bispo de Olinda.
1875 – Assembléia internacional de Supremos Conselhos em Lausanne, em 22 de setembro.
1875 – Fundação da Sociedade Teosófica, dedicada a propagação do misticismo budista.
1877 – Por proposta do Pastor Desmons, teólogo protestante, que pretendia assegurar maior
tolerância na Maçonaria, o Grande Oriente da França altera o artigo I de sua Constituição. O texto
passa a ser: “A Franco-maçonaria não é deísta, nem atéia, nem sequer positivista. Instituição que
afirma e pratica a solidariedade humana, é estranha a todo dogma e a todo credo religioso. Tem por
princípio único o respeito absoluto da liberdade de consciência. Nenhum homem inteligente e
honesto poderá dizer seriamente que o Grande Oriente da França quis banir de suas Lojas a crença
em Deus e na imortalidade da alma quando, pelo contrário, em nome da liberdade absoluta de
consciência, declara solenemente respeitar as convicções, as doutrinas e as crenças de seus
membros”. A Grande Loja Unida da Inglaterra, de forma intolerante e unilateral, rompe em 1878 o
tratado de mútuo reconhecimento.
1878 – A Grande Loja Unida da Inglaterra numa demonstração de intolerância e violentando
as antigas tradições da verdadeira Maçonaria, alega a alteração da Constituição do Grande Oriente
da França para renunciar ao tratado de mútuo reconhecimento e amizade que mantinha.
1879 – Iniciação de Leo Taxil (1854 – 1907) que veio a ser por captação da Igreja o maior
fabricante de provas contra a Maçonaria vinculando-a a supostas práticas satânicas.
1880 – O Supremo Conselho do REAA cria a Grande Loja Simbólica Escocesa.
1880 – O Grande Oriente do Brasil (GOB) é reconhecido pela Grande Loja Unida da
Inglaterra.
1880 – Os Illuminati reaparecem na Alemanha, agora liderados por Leopold Engel.
1882 – O papa Leão XIII lança a bula Etai Nos contra a maçonaria.
1884 – A Maçonaria instala-se na Bolívia.
1884 – É fundada em Londres a primeira Loja de Pesquisas, a “Quatuor Coronati nº 2076”.
1884 – O papa Leão XIII condena a Maçonaria na bula Humanum Genus.
1885 – A serviço dos Jesuítas, Léo Taxil inicia a publicação de supostos segredos maçônicos,
tentando desacreditar a Maçonaria. Seus folhetins tinham um objetivo unicamente financeiro e
atendia o interesse social da época por uma “boa fofoca”; entretanto, a Igreja Católica utilizou suas
mentiras para denegrir a Maçonaria diante de acusações de culto ao demônio e práticas satânicas.
Em 1890 já é considerado uma celebridade pela Igreja em virtude de seus livros e folhetins eivados
de mentiras contra a Maçonaria. Em 1894 é recebido pelo Papa Leão XIII, antimaçom ferrenho. Em
1897 Leo Taxil é desmascarado e confessa publicamente sua trama, declarando que tudo que
escreveu não passava de mentira. A despeito dessa retratação correntes cristãs ainda se utilizam de
suas obras como argumento contra a Maçonaria em pleno século XXI.
1886 – O Dr. W. Westcott funda em Londres a Order Of the Golden Dawn mediante
autorização alemã.
1888 – Stanislas de Guaita e Joséphin Péladam fundam a Ordem Cabalística da Rosa+Cruz.
1888 – O Dr. Gerard Encausse (Papus) e o Dr. Pierre-Augustin Chaboseau fundam a Ordem
Martinista, uma forma de misticismo cristão.
1888 – Abolição da escravatura no Brasil.
1889 – Proclamação da república do Brasil. Entre os líderes do movimento, civis e militares,
diversos maçons.
1890 – Aprovado decreto estabelecendo a separação entre a Igreja e o Estado no Brasil.
1894 – O Supremo Conselho concede autonomia a Grande Loja da França sobre os graus
simbólicos.
1894 – Criação da potência mista O Direito Humano.
1895 – A Grande Loja da França aprova sua primeira Constituição.
1895 – De 26 a 30 de setembro se desenvolve em Trento, Itália, Congresso Católico
Antimaçônico para avaliar “os danos” causados pela Maçonaria contra a Igreja. A campanha contra
a maçonaria ganha nova roupagem com os mesmos argumentos baseados em mentiras.
1896 – O papa Leão XIII funda em Trento uma Comissão Romana Anti-maçônica fazendo
parte dela 36 Bispos.
1899 – Os ritos Memphis e Misraim fundem-se.
1901 – A Grande Loja da França cria a primeira Loja de Adoção (rito feminino), sob o título
distintivo de Livre Exame.
1905 – No Brasil existem 634 Lojas maçônicas e 27.912 maçons no GOB.
1905 – Com o fim único de vincular a Maçonaria e os Judeus, Sergei Nillus escreve “Os
Protocolos dos Sábios de Sião” mas atribui seu texto ao Congresso Sionista da Basiléia realizado no
ano de 1897. No livro ele alega que judeus e maçons estão unidos e tramado para dominar o mundo.
Esse texto levou a morte milhões de judeus e centenas de maçons alemães por fuzilamento e nas
câmaras de gás do nazismo hitlerista.
1907 – A Grande Loja da França cria a Loja de Adoção Nova Jerusalém.
1913 – Duas Lojas do Grande Oriente da França criam a Grande Loja Nacional Independente
e Regular para a França e as Colônias Francesas, ou Grande Loja Nacional Francesa, a única
reconhecida pela Grande Loja Unida da Inglaterra apesar de sua irregularidade de origem
(necessidade de três Lojas regulares para a fundação de uma Obediência regular).
1914 – Criado pelo decreto nº 500 de 23 de dezembro, do GOB, o Rito Brasileiro.
1915 – A Grande Loja Nacional Independente e Regular para a França e as Colônias
Francesas adota o título distintivo de Grande Loja Nacional Francesa, sendo a única reconhecida
pela Grande Loja Unida da Inglaterra.
1917 – O comunismo se instala na Rússia czarista, criando depois a União Soviética, uma
ditadura militar de esquerda. Uma das primeiras medidas do novo poder foi proibir a Maçonaria.
Em 1922 o 4º Congresso da Internacional Comunista decreta a incompatibilidade entre o (pseudo)
comunismo e a Maçonaria. De fato a Maçonaria não pode conviver com a falta de liberdade!
1917 – As Potências cortam relações com a Maçonaria alemã.
1921 – Reunião em Genebra da Associação Maçônica Internacional.
1922 – O Partido Comunista Francês proíbe seus filiados de integrarem a Maçonaria.
1923 – Mussolini declara que o fascismo e a Maçonaria são incompatíveis. Tem início a
caçada aos maçons na Itália.
1924 – Camile Savire cria no seio do Grande Colégio dos Ritos do GOF, o Grande Priorado
Independente das Gálias.
1927 – O Grão Mestre do GOB – Grande Oriente do Brasil, Mário Behring, trai a confiança
nele depositada e entrega o cargo de Grão Mestre, mas não entrega o de Presidente do Supremo
Conselho do Rito Escocês Antigo e Aceito e, revestido desse título dirige a criação das Grandes
Lojas estaduais pela migração de Lojas do GOB. Além disso apropria-se de documentos do
Supremo Conselho que estavam desde muito tempo depositados na sede do GOB. A atitude de
Behring foi apoiada por apenas 13 dos 33 membros do Supremo Conselho, portanto minoria, o que
torna ainda mais ilegal (se possível) sua atitude. Em conseqüência disso o GOB reorganizou o
Supremo Conselho uma vez que ainda era uma Potência mista, portanto que incluía na mesma
administração os graus simbólicos e altos graus. Entretanto, na Convenção Internacional dos
Supremos Conselhos do REAA, Mário Behring deu novo golpe no GOB apresentando-se antes e
obtendo as credenciais para o Brasil, impedindo com isso a participação do GOB uma vez que até
então era reconhecido apenas um Supremo Conselho por país.
1928 – Foi criada nos Estados Unidos a Sociedade Cultural Philaletes, entidade para-maçônica
que congrega maçons interessados em estudar a história e outros assuntos de interesse da Ordem.
1932 – Líderes da Grande Loja Unida da Inglaterra inauguram um hospital maçônico.
1933 – Em sua famosa expedição ao Pólo Sul, o Almirante Richard Byrd tinha na sua
comitiva de 80 homens, um total de 60 maçons, com os quais foi fundada a Loja Antarctica Nº 777,
sob a jurisdição da Grande Loja da Nova Zelândia.
1934 – A rainha da Inglaterra inaugura uma escola maçônica para moças, em Londres.
1934 – Hitler proíbe a Maçonaria na Alemanha. A Grande Loja Alemã passa a funcionar em
território estrangeiro.
1935 – A Grande Loja da França concede independência às Lojas de Adoção.
1935 – Ratificação do tratado de amizade e reconhecimento entre o Grande Oriente do Brasil
e a Grande Loja Unida da Inglaterra. O tratado original é de 1880.
1935 – Os nazistas iniciam a caçada dos maços, os Templos maçônicos são saqueados e
muitos maçons são presos, torturados e assassinados.
1936 – I Congresso das Lojas de Adoção.
1936 – O ditador Franco inicia perseguição contra a Maçonaria na Espanha, organiza tribunais
e expede 80.000 mandados contra os maçons espanhóis que, na época, não passavam de 15.000
membros. Os Templos são violados e o partido de Franco organiza visitações ao custo de algumas
pesetas para mostrar ao povo especialmente as Câmaras de Reflexões.
1937 – O ditador Getúlio Vargas proíbe temporariamente a Maçonaria no Brasil.
1938 – O governo nazista da Alemanha lança um manifesto contra a Maçonaria.
1938 – O ditador Getúlio Vargas revoga a proibição da Maçonaria no Brasil.
1938 – O ditador Franco decreta a destruição de todo símbolo maçônico.
1940 – Em todos os países invadidos pelas tropas nazistas a Maçonaria é proibida.
1940 – Alfred Rosenberg afirma na França que a Maçonaria é a culpada da derrota alemã na
1ª guerra mundial…
1940 – O governo de Vichy proíbe a Maçonaria na França e suas Colônias.
1941 – No dia 1º de agosto os nazistas fuzilam o Irmão José Rouig, na França, iniciando assim
a sangrenta perseguição aos maçons franceses. O anúncio da execução foi colado nos muros de
Paris. Perseguição semelhante foi feita nos países ocupados pelos nazistas, apoiados por um boletim
anti-maçônico publicado pelo Centro de Ação e Documentação, dirigido por Henry Coston..
1943 – A proibição de Vichy é anulada em Alger. As Potências se instalam fora do território
francês.
1944 – A Maçonaria retoma força e vigor na França. Da mesma forma, na medida em que os
países dominados pelos nazistas são libertados a Maçonaria retoma força e vigor.
1945 – Descoberta dos Evangelhos Gnósticos em Nag Hammadi.
1947 – Descoberta dos Manuscritos do Mar Morto em Qumran.
1945 – I Assembléia Geral da União Maçônica Feminina da França, em Paris.
1951 – Pelo decreto nº 1641 de 23 de maio o Grande Oriente do Brasil deixa de ser uma
Potência Mista, administrando os Graus Simbólicos e os Altos Graus, e passa a administrar apenas
os Graus Simbólicos. Os ritos praticados no Brasil criam suas Oficinas Chefe que firmam tratados
de reconhecimento e amizade com o GOB.
1952 – O jornal Daily Mirror, Londres, publica os meios de identificação dos Maços. Um dos
jornalistas ingressou na Ordem com o fim pré-estabelecido de revelar seus segredos.
1952 – A União Maçônica Feminina da França adota o título distintivo de Grande Loja
Feminina da França, irregular para a Maçonaria Oficial.
1953 – A Grande Loja da França passa a obrigar em suas Lojas a presença da Bíblia sobre a
mesa do Venerável.
1954 – Sob delegação do Grande Priorado das Gálias é criada a Grande Loja do Regime
Retificado da França.
1955 – O Manuscrito de Cobre (Qumran) é decifrado revelando uma lista de tesouros do
Templo de Yahweh escondidos no período da dominação romana; como as referências de locais
segue um padrão da época e hoje desconhecidos, no presente momento, sua localização é
impossível. A referida lista confirma a tradição de que os Templários teriam descoberto tesouros e
manuscritos ocultos sob o Templo de Yahweh mandado construir por Salomão.
1959 – Os ritos de Misraim e de Memphis se unificam criando o Supremo Conselho da Ordem
Maçônica de Memphis e Misraim.
1960 – A Grande Loja Unida da Inglaterra comunica oficialmente que o Grande Oriente da
França e a Grande Loja da França encontram-se em situação irregular.
1962 – Um bispo do México, durante o Concílio Vaticano II, questiona a atitude da Igreja
Católica contra a Maçonaria, alegando que os maçons nunca atuaram contra a religião.
1964 – 1º de abril, golpe de estado perpetrado pelos militares de direita com apoio da Igreja
Católica.
1965 – Maçons de Porto Rico assistem a missa devidamente paramentados
1968 – Uma onda de alterações dos rituais invade o Brasil trazendo da Maçonaria Mista
Internacional ritos espúrios para a Maçonaria regular, entre eles cerimônias específicas de
acendimento de velas, incensação, formação de pálio para abertura do livro da lei e leitura de
trechos bíblicos em Loja, em desacordo com as tradições mais antigas e originais.
1968 – O Rito Brasileiro eleva de sete graus originais para 33 graus o seu sistema. O ano é o
mais provável, já que não subsistem registros.
1969 – Junto com a bandeira norte-americana, Armstong deposita um símbolo maçônico na
Lua.
1970 – A Igreja da Alemanha após realizar algumas reuniões debatendo o assunto com
dignidades maçônicas afirma: “Estamos cientes das antigas controvérsias que por tempo já
suficiente tem levado à condenação dos maçons. É inútil manter vivas essas controvérsias. Nós,
portanto, sinceramente damos as boas vindas a este começo de diálogo que, não obstante as
divergências existentes, trouxeram à tona o desejo de se alcançar um entendimento. Nós
concordamos que as bases deste diálogo exigem um SIM à dignidade do gênero humano. Somos da
opinião que as Bulas Papais referentes à Maçonaria só tem importância histórica e não tem sentido
nos tempos atuais. Temos a mesma opinião sobre a Lei Canônica, pois, pelo que foi exposto
anteriormente, torna-se impossível a uma Igreja que ensina, de acordo com os mandamentos de
Deus a amar seus semelhantes, justificar essas condenações contra a Maçonaria”.
1973 – Nova onda de alterações eleva os 13 graus originais do Rito Adonhiramita para 33.
1983 – A Congregação para Doutrina da Fé, nome atual da “Santa” Inquisição, reafirma em
26 de novembro a condenação da Maçonaria pela Igreja Católica.
1989 – Lê Pen, ultradireitista francês, presidente da Frente Nacional (extrema direita), publica
no Le Monde em 16 de agosto que “o judaísmo internacional e a franco-maçonaria, têm papel
nada desprezível na criação do espírito antinacional”.
1990 – Queda do Muro de Berlim e com ele inicia a queda do comunismo, um dos sistemas
políticos mais nefastos que a humanidade experimentou.
1994 – A Grande Loja Unida da Inglaterra reconhece a Grande Loja Prince Hall (maçons
negros norte americanos). Historicamente a Prince Hall (enquanto uma simples Loja) foi fundada
por integrantes do exército inglês na guerra de independência e foi já naquela época autorizada pela
Grande Loja Unida da Inglaterra que, muitos anos depois quando a primeira Grande Loja de norte
americanos brancos foi organizada na mesma jurisdição omitiu-se de confirmar o reconhecimento
anterior que tornaria ilegal a GL de brancos uma vez que a GLUI reconhece apelas uma Potência
por nação.
1995 – Início da avalanche antimaçônica no mundo literário evangélico brasileiro com as
publicações dos fundamentalistas norte-americanos Bill Shnoebelen, John Ankeberg, Scott Horrel e
John Weldon.
1999 – O Rito Moderno eleva dos sete graus originais para 9 graus o seu sistema, mas, ao
contrário de outros ritos que ao elevarem seu sistema a um número excessivo de graus se
submeteram a uma espécie de “escocesisação”, o Rito Moderno não alterou em nada seus graus
precedentes, apenas introduziu dois graus administrativos em benefício de sua estrutura
organizacional, sem com isso alterar as tradições ritualísticas e filosóficas do sistema. O Grau 8 foi
destinado aos membros dos Grandes Conselhos Estaduais do Rito Moderno e o Grau 9 aos
membros do Supremo Conselho do Rito Moderno.

BIBLIOGRAFIA

1) Iniciação à Maçonaria Adonhiramita, Aprendiz – Melkisedek – Ed. A Gazeta Maçônica;
2) O Aprendiz no Rito Moderno – Melkisedek – Ed. A Gazeta Maçônica;
3) O Companheiro Adonhiramita – Melkisedek – Ed. A Gazeta Maçônica;
4) O Companheiro no Rito Moderno – Melkisedek – Ed. A Gazeta Maçônica;
5) Dicionário Místico e Rosa-cruz – Melkisedek – Ed. A Gazeta Maçônica;
6) O Mestre Maçom Adonhiramita – Melkisedek – ed. A Gazeta Maçônica;
7) História da Civilização (3 vol.) – Prof. Aguiar Neto – Ed. Formar Ltda;
8) O Pergaminho Secreto – Andrew Sinclair – Madras;
9) A Inquisição – Michael Baigent & Richard Leigh – Imago;
10) Rex Deus – Marilyn Hopkins, Graham Simmans e Tim Wallace-Murphy – editora Imago;
11) Os Templários e a Arca da Aliança – Graham Phillips – Madras;
12) Pérolas Maçônicas – Vol. 3 – Gilson da Silva Pinto – A Trolha;
13) A Idade das Luzes – Arthur Franco – Wodan Editora;
14) A Chave de Hiram – dos IIr∴ Christopher Knight e Robert Lomas – editora Landmark;
15) O Segundo Messias – dos IIr∴ Christopher Knight e Robert Lomas – editora Landmark;
16) O Tesouro dos Alquimistas – Jacques Sadoul – Hemus;
17) Descobrindo a Alquimia – Bernard Roger – Círculo do Livro;
18) Alquimia e Ocultismo – textos de Hermes, Zózimo, Geber, Bacon, Flamel, Valetim,
Vilanova, Lúlio, Helvécio, Agrippa, Paracelso, Barbault – edições 70 – Lisboa;
19) Tratado da Pedra Filosofal – Lambsprinck – edições 70 – Lisboa;
20) O Livro do Misterioso Desconhecido – Robert Charroux – Livraria Bertrand – Lisboa;
21) O Livro dos Segredos Traídos – Robert Charroux – Livraria Bertrand – Lisboa;
22) O Templo do Rei Salomão na Tradição Maçônica – Ir∴Alex Horne, M∴I∴, 33º, Membro
da Loja de Pesquisas Quator Coronati de Londres – Ed. Pensamento – 1972;
23)Curso de Maçonaria Simbólica – Vol. 3 – Mestre Maçom – T. Varoli Fo., M∴I∴, 33º;
24)Maçonaria e Misticismo Medieval – Isabel Cooper-Oakley – ed. Pensamento;
25) Maçonaria – Lendas, Mistérios e Filosofia Iniciática – João Antônio Ardito – Madras;
26) A Lenda de Hiram – Luiz Gonzaga da Rocha – A Trolha;
27) A Maçonaria Adonhiramita e o Escocismo – Ir∴ José Daniel da Silva – Ed. A Gazeta Maçônica;
28) História da Franco-Maçonaria em Portugal – M. Borges Grainha – Vega (Lisboa);
29) História Secreta de Portugal – Antônio Telmo – Vega (Lisboa);
30) Grande Dicionário Enciclopédico de Maçonaria e Simbologia Vol. I e II – Ir∴ Nicola Aslan – artenova;
31) O Santo Graal e a Linhagem Sagrada – Michael Baigent, Richard Leigh, Henry Lincoln – Editora Nova Fronteira;
32) A Herança Messiânica – Michael Baigent, Richard Leigh, Henry Lincoln – Editora Nova Fronteira;

 

Ir∴ Alexandre Magno Camargo, MI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: